app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

MACEIÓ SUSPENDERÁ NOVAMENTE APLICAÇÃO DA 2ª DOSE DA CORONAVAC

Município recebeu quantidade insuficiente do imunizante para atender à demanda

Por Hebert Borges | Edição do dia 04/05/2021 - Matéria atualizada em 03/05/2021 às 22h31

A Prefeitura de Maceió informou na segunda-feira (3) que por volta de 12h as doses da Coronavac acabaram nos oito postos de vacinação da cidade. A suspensão afeta as pessoas que estavam com data da segunda dose prevista para o dia 26 de abril. Já no fim da tarde de segunda-feira (3), a Secretaria Municipal de Saúde informou que receberá, nesta terça-feira (4), 3.740 doses do imunizante Coronavac. Contudo, segundo a SMS, o quantitativo repassado pelo Governo do Estado é insuficiente para concluir a imunização de todo o grupo previsto. Com isso, serão vacinadas, nesta terça-feira, apenas as pessoas que estavam com a data da segunda dose prevista para o dia 26 de abril e que não conseguiram se vacinar na segunda-feira (3). As pessoas de datas diferentes serão vacinadas à medida que a Secretaria receber novas doses do imunizante.

De acordo com a prefeitura, Maceió recebeu apenas 7.550 doses de CoronaVac na última remessa enviada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), quando eram necessárias 17.720 para garantir a completa imunização da população que aguarda pelo complemento, ou seja, faltaram 10.170 doses para cumprir o calendário, considerando que não foram usadas “sobras” na vacinação.

A SMS afirmou que desde a última sexta-feira (30) vem informando à Sesau sobre a possibilidade de falta de Coronovac na capital para a vacinação da segunda dose. O retorno da aplicação da segunda dose do imunizante depende, segundo a SMS, apenas do envio de novos imunizantes.

PROBLEMA RECORRENTE

No último dia 25 de abril, a Prefeitura de Maceió suspendeu pela primeira vez a aplicação da segunda dose da vacina CoronaVac em Maceió. Á época, o município informou que o Estado só repassou 8.790 doses para a capital, que precisava de 26.510. Ainda no domingo (25), A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems/AL) informaram que decidiram, conjuntamente, estender o prazo para aplicação da segunda dose da Coronavac, passando de 21 para 28 dias – o que, segundo ele, é permitido pelo fabricante do imunizante e está previsto na bula da vacina.

SITUAÇÃO NACIONAL

As cidades do Rio de Janeiro e Fortaleza retomaram a vacinação com a 2ª dose da Coronavac na segunda-feira (3). Contudo, ao menos sete capitais, além de Maceió, permanecem com problemas no estoque e estão sem imunização: Aracaju, Belo Horizonte, Belém, Campo Grande, Porto Alegre, Porto Velho e Recife. No domingo, eram oito as capitais com vacinação interrompida. Belém entrou na lista, apesar de ter recebido doses do Ministério da Saúde no fim de semana. As doses seguem em fase de distribuição.

Os problemas nos estoques acontecem após o Ministério da Saúde recomendar que as vacinas guardadas para a 2ª dose fossem usadas na 1ª aplicação. Atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga responsabilizou seu antecessor, o general Eduardo Pazuello, pelas interrupções. “[O atraso] decorre da aplicação da segunda dose como primeira dose”, afirmou. “Logo que houver entrega da CoronaVac, [o problema] será solucionado”, declarou Queiroga.

A liberação feita por Pazuello ocorreu em duas oportunidades, em fevereiro e março. O Ministério da Saúde já voltou atrás na recomendação e determina que as cidades guardem os imunizantes para a 2ª dose.

Mais matérias
desta edição