app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades Segunda dose o principal gargalo neste momento nos municípios alagoanos

FALTA DE VACINA AFETA TODOS OS MUNICÍPIOS ALAGOANOS

.

Por regina carvalho | Edição do dia 08/05/2021 - Matéria atualizada em 08/05/2021 às 04h00

Para completar o ciclo vacinal e garantir a proteção contra a Covid é fundamental a segunda dose. É justamente esse o principal gargalo neste momento nos municípios alagoanos, que não dispõem de imunizantes suficientes e aguardam o envio pelo Ministério da Saúde.

Todos os municípios alagoanos sofrem com a falta de vacinas, mas especialmente os idosos imunizados com a Coronavac temem essa demora. O grupo ainda é o mais afetado pela pandemia do novo coronavírus. Em Maceió, por exemplo, essa população é de 86,3 mil e representa 8,48% do número de habitantes na capital.

Segundo o consultor técnico do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems/AL) Sival Clemente, a escassez de vacinas tem preocupado gestores e os que aguardam a segunda dose da Coronavac.

“Todo mundo quer se vacinar. Antes havia alguma resistência dos idosos, mas isso já passou. Temos observado que a vacinação já impactou e provocou certa estabilidade de casos e internados. Ainda é cedo, mas temos visto esse comportamento”, afirma Clemente.

Ele reforça que pelo menos 85 municípios alagoanos receberam quantidade menor de doses do que o esperado para a imunização dos grupos prioritários. “Continuamos com essa dificuldade para a aplicação da segunda dose. Estamos aguardando mais vacinas do Ministério da Saúde”, finaliza o consultor técnico do Cosems. Segundo o painel da Rede Nacional de Dados em Saúde do Ministério da Saúde, Alagoas recebeu pouco mais de um milhão de doses de vacina contra a Covid. Desse total foram aplicadas, até a última quinta-feira (6), 690,4 mil ou 67% dos imunizantes enviados pelo governo federal. De acordo com o MS, Alagoas tem 1,1 milhão pessoas nos grupos prioritários, sendo 148,7 mil de trabalhadores da saúde e 487,5 mil idosos com mais de 60 anos e institucionalizados. Do total de doses de vacinas aplicadas, 402,9 mil são mulheres e 287,4 mil homens. Em relação aos grupos prioritários, o maior número de imunizados está nos idosos entre 60 e 64 anos – 25,7 mil dos 124,8 mil integrantes tomaram as duas doses da vacina; 27,7 mil dos 112,1 mil com idade de 65 a 69 anos completaram o ciclo de vacinação e 43,4 mil dos 107,1 mil com 70 a 74 anos.

Mais matérias
desta edição