app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

AL REGISTRA AUMENTO DE CASOS E ÓBITOS POR COVID, DIZ OBSERVATÓRIO

Média de novos infectados subiu 36% na última semana, enquanto os óbitos cresceram 17%

Por Clariza Santos | Edição do dia 15/06/2021 - Matéria atualizada em 15/06/2021 às 04h00

Desde o início da pandemia, Alagoas registrou mais de 5 mil óbitos pela Covid-19, e a situação, conforme o boletim da 23ª Semana Epidemiológica do Observatório Alagoano de Políticas Públicas para Enfrentamento da Covid-19 (OAPPEC), está em momento crítico no Estado. Após dez semanas com um número estável de novos casos, próximo aos 4.500, foram notificados 5.909 novos casos da doença, ou seja, um aumento de 36% na incidência. Foram confirmados também 145 novos óbitos pela Covid-19, um incremento de 17% em comparação à semana anterior.

A interiorização do vírus continua avançando, segundo análise do Observatório, 68% dos casos e óbitos registrados durante esta semana em Alagoas são do interior do estado. Arapiraca e a 6ª Região Sanitária apresentaram as maiores taxas de incidência na última semana, iguais a 535 e 228 casos para cada 100 mil habitantes, respectivamente. A média mensal foi de 177 para a mesma proporção populacional. A maior variação de novos casos entre as duas últimas semanas foi observada na 5ª Região de Saúde, (de 151 para 319 casos), enquanto a de óbitos foi notada a 9ª RS a maior variação de óbitos (de 3 óbitos para 13). O número de casos suspeitos da Covid-19 em Alagoas segue elevado, apesar de uma redução na última semana. Eram 14.838 casos em investigação no sábado (12), com a proporção de testes positivos ainda no patamar elevado de 45%, porcentagem constante há treze semanas.

Ainda conforme o levantamento, a taxa de confirmações também se mantém elevada, apesar do aumento no número de testes processados semanalmente pelo Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL), que foi de 9.018. Para se ter uma ideia, há duas semanas esse número foi de pouco mais de 4.500. Um dos fatores de preocupação no estado, a ocupação nos leitos de UTI também segue elevada. A proporção de leitos ocupados variou entre 90% e 92% no decorrer da 23ª SE, apontando para uma estabilização em um patamar perigoso e acima do limite de 80% recomendado pelo Comitê Científico do Consórcio Nordeste (C4NE).

A desigualdade na distribuição dos leitos segue um problema: oito dos nove municípios com leitos de UTI exclusivos para o tratamento da Covid-19 apresentavam ocupação acima dos 80% neste último domingo. Arapiraca, Palmeira dos Índios, São Miguel dos Campos e Santana do Ipanema chegaram a 100% de ocupação, aumentando o elenco de municípios que já assistem à saturação de seus sistemas de saúde.

VACINAÇÃO NO ESTADO

Foram aplicadas 82.257 doses em Alagoas no decorrer da 23ª Semana Epidemiológica, um aumento de 18% em relação à semana anterior. Foram 1,1 milhão de doses aplicadas no estado, sendo 817 mil relativas à primeira dose e 298 mil à segunda. O Observatório estima que mais 3,30 milhões de doses são necessárias para imunizar a totalidade da população adulta do estado, número que no ritmo atual só será atingido em março de 2022. Com as evidências apresentadas, a avaliação dos pesquisadores do OAPPEC é que a pandemia continua descontrolada no estado e a adoção de medidas de isolamento social são necessárias para conter a transmissão e evitar uma saturação total do sistema de saúde do estado. As condolências dos integrantes do Observatório também vão para os familiares das 5 mil vítimas do Sars-CoV-2 em Alagoas, com votos por dias melhores no futuro.

Mais matérias
desta edição