app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

ALAGOAS CHEGA A 230 MIL CASOS CONFIRMADOS DO NOVO CORONAVÍRUS

Nas últimas 24 horas, foram registrados no Estado mais 730 infectados e 21 óbitos causados pela doença

Por rayssa cavalcante | Edição do dia 22/06/2021 - Matéria atualizada em 22/06/2021 às 04h00

Registrando mais 730 casos confirmados, Alagoas chegou a marca de 210.301 pessoas infectadas pela Covid-19, segundo Boletim Epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (21), pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). O estado também registrou mais 21 óbitos, somando 5.155 mortes.

Do total de testes positivos, 3.874 pacientes estão em isolamento domiciliar, enquanto outros 200.476 já finalizaram o período de isolamento, não apresentam mais sintomas e foram considerados como recuperados da doença. Ainda há 13.543 casos em investigação epidemiológica. Em relação ao total de óbitos, oito eram pessoas residentes em Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina e Bahia, tendo como vítimas seis homens e duas mulheres. Dos 5.147 óbitos de pessoas residentes em Alagoas, 2.862 eram do sexo masculino e 2.285 do sexo feminino. Eram 2.286 pessoas que residiam em Maceió e as outras 2.861 moravam no interior do Estado, segundo o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs).

ÓBITOS EM 24H

Das vítimas confirmadas nas últimas 24 horas, três vítimas residiam na capital alagoana e 18 do interior. As vítimas de Maceió eram três homens de 46, 69 e 80 anos. O homem de 46 anos era hipertenso, tinha gota e morreu no Hospital Arthur Ramos, em Maceió; o homem de 69 anos era cardiopata, diabético, hipertenso, tinha sequelas de um Acidente Vascular Encefálico (AVE) e morreu no Hospital da Mulher (HM), em Maceió; e o homem de 80 anos era hipertenso, diabético, cardiopata e morreu no Hospital Veredas, em Maceió. As 18 vítimas que residiam no interior eram 10 homens, com 36, 38, 44, 47, 50, 65, 76, 82, 84 e 86 anos, além de oito mulheres de 23, 36, duas de 44, 53, 57, 63 e 76 anos. O homem de 36 anos, residia em Arapiraca, tinha asma, obesidade, hipertensão, diabetes e morreu no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; o homem de 38 anos, morava em Santana do Ipanema, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Clodolfo Rodrigues, em Santana do Ipanema; o homem de 44 anos, residia em Carneiros, era obeso e morreu no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; o homem de 47 anos, residia em Satuba, não tinha comorbidades e morreu no Hospital da Mulher (HM), em Maceió; o homem de 50 anos, morava em Teotônio Vilela, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió; o homem de 65 anos, residia em Palmeira dos Índios, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Regional Santa Rita, em Palmeira dos Índios; o homem de 76 anos, residia em Arapiraca, era hipertenso e morreu no Hospital Regional, em Arapiraca; o homem de 82 anos, morava em Cajueiro, tinha doença cardíaca crônica e morreu no Hospital Veredas, em Maceió; o homem de 84 anos, morava na Barra de Santo Antônio, tinha doença neurológica crônica e morreu no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió; o homem de 86 anos, morava em Arapiraca, tinha doença cardiovascular e morreu no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; a mulher de 23 anos, era de Canapi, tinha doença cardiovascular e morreu em seu domicílio; a mulher de 36 anos, era da Barra de Santo Antônio, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Regional do Norte (HRN), em Porto Calvo; a primeira mulher de 44 anos, residia em São Miguel dos Campos, não tinha comorbidades e morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em São Miguel dos Campos; a segunda mulher de 44 anos, era de Minador do Negrão, tinha hipertensão, havia realizado um transplante renal e morreu na Santa Casa, em Maceió; a mulher de 53 anos, residia em Palmeira dos Índios, era diabética, hipertensa e morreu na Santa Casa, em São Miguel dos Campos; a mulher de 57 anos, residia em Batalha, era obesa e morreu no Hospital da Mulher (HM), em Maceió; a mulher de 63 anos, era de Olivença, tinha diabetes, doença cardiovascular e morreu no Hospital Chama, em Arapiraca; e a mulher de 76 anos, residia em Santana do Ipanema, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Clodolfo Rodrigues, em Santana do Ipanema. Leitos em hospitais Dos 1.428 leitos criados para atender pacientes com suspeita e confirmação de infecção pelo novo coronavírus, 802 estavam ocupados até as 16 horas do domingo (20), o que corresponde a 56% do total. Atualmente, 337 pacientes estão em leitos de UTI, 15 ocupando leitos intermediários e 450 em leitos de enfermaria.

*com informações da Sesau.

Mais matérias
desta edição