app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5712
Cidades

Vi�va faz apelo � Justi�a para receber indeniza��o por doen�a

A viúva Maria José da Conceição Gomes, residente na Rua Getsemani, casa 8 M-, Loteamento Tabuleiro Novo, no bairro do Tabuleiro do Martins, está fazendo um apelo à Justiça alagoana para que cobre a indenização por invalidez por doença, devida pelo seu

Por | Edição do dia 12/04/2002 - Matéria atualizada em 12/04/2002 às 00h00

A viúva Maria José da Conceição Gomes, residente na Rua Getsemani, casa 8 M-, Loteamento Tabuleiro Novo, no bairro do Tabuleiro do Martins, está fazendo um apelo à Justiça alagoana para que cobre a indenização por invalidez por doença, devida pelo seu seguro de vida, pago, segundo ela, há mais de 12 anos, às seguradoras Previmil, de Recife, e Fam Poupex, pertencente ao Exército. Maria José disse ter várias doenças graves, o que, afirma, lhe dá direito a receber a indenização por invalidez por doença. “Até o momento as seguradoras só me negaram a indenização”, disse, acrescentando que contratou um advogado para mover uma ação na Justiça, mas o problema ainda não foi solucionado. Apresentando várias receitas médicas, disse ter úlcera gástrica, edema na garganta, cistos nos seios, além de osteoporose, desenvolvido com maior intensidade na coluna. “Os médicos já me alertaram que em poucos dias não mais conseguirei andar, por causa do problema na coluna”, disse. Ela explicou que vem sendo descontado de sua pensão uma média de 18 reais do FAM Poupex, e 72 reais da Previnil, e até o momento não recebeu sua indenização. “Isso é um desrespeito com uma pessoa doente. Não posso aceitar esta situação”, afirmou. Maria José revelou, ainda, que chegou até a tomar vários empréstimos e a passar cheque especial para comprar medicamentos que seriam descontados automaticamente de sua pensão, mas, segundo ela, o dinheiro foi insuficiente para solucionar o problema. Ela afirma que há dois meses está sem receber o dinheiro, em função das dívidas geradas pelos empréstimos e o cheque especial. “O pouco dinheiro que eu recebia agora serve apenas para pagar as dívidas”, reclamou. Além de problemas de saúde, Conceição disse que também está enfrentando sérias dificuldades financeiras. A viúva explicou que está com dois meses de aluguel em atraso, com o telefone cortado, além de estar sem alimentação. Ela disse que o problema está ainda pior porque tem um neto de apenas dois anos, o qual, segundo ela, está sendo sustentado apenas por leite em pó. “Estou desesperada, preciso de ajuda”, apela.

Mais matérias
desta edição