app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

USUÁRIOS DE ÔNIBUS TEMEM INFECÇÃO POR COVID E PEDEM AUMENTO DA FROTA

Passageiros do transporte coletivo urbano temem exposição ao vírus durante viagens em ônibus lotados

Por Rafael Reis | Edição do dia 13/01/2022 - Matéria atualizada em 12/01/2022 às 22h37

Após um período de relativa calmaria em relação à pandemia da Covid-19, uma nova cepa, a Ômicron, avança mundo afora. No Brasil, a situação não é diferente, bem como em Alagoas. Após as festas de fim de ano, quando Maceió recebeu turistas de todo o País, o número de casos na cidade e no Estado disparou, fazendo o medo tomar conta de muitos setores sobre possíveis novas restrições.

Principal meio de transporte coletivo dos maceioenses, os ônibus estão rodando lotados. Isso é uma unanimidade entre os usuários. Muitos utilizam os ônibus como único meio de transporte, o que acaba assustando os passageiros em tempos de aumento de casos da doença, como é o caso de José Cícero, de 69 anos.

“A gente anda de ônibus porque não tem outro meio de transporte. Aí temos que enfrentar a realidade. O pessoal até usa máscara, mas o problema é que as aglomerações são muito grandes. Os ônibus andam muito cheios, não tem como evitar. Pouco ônibus, muita gente”, disse, enquanto esperava seu coletivo chegar.

Outro passageiro, que se identificou como Lenilson, de 33 anos, lembrou também que, além da Covid-19, o alto número de casos da nova cepa da Influenza também assusta, afirmando que, em alguns casos, mal consegue subir nos ônibus, de tão lotados.

“Principalmente pela parte da manhã, os ônibus estão muito cheios, as vezes não dá nem pra entrar direito. Às vezes a gente tem medo. Os casos estão aumentando, cada dia mais, ainda tem essa gripe que tá chegando. A gente teme que pegue esses vírus. Ainda bem que tem muitas pessoas usando máscaras, porque o distanciamento não tem como fazer, é muito cheio”, apontou o usuário do transporte. Quem pode, se programa para evitar os horários de pico nas saídas necessárias.

Identificada como Nadieje, uma passageira que estava acompanhada da mãe contou que é uma dessas pessoas, o que contribui para não pegar coletivos muito cheios, além de comemorar que a população vem respeitando a recomendação para o uso de máscaras no transporte. “Nos horários que estamos andando não estão muito cheios, até porque, por conta da minha mãe, que é idosa, fugimos dos horários de pico. Graças a Deus estão usando máscara dentro dos ônibus. Com certeza tivemos medo”, afirmou. Na noite da última terça-feira (11) , a Prefeitura anunciou uma série de medidas para combater o vírus. Uma delas é o aumento da frota de ônibus na capital.

PROTOCOLOS

Em contato com à Gazeta de Alagoas, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb) afirmou que o protocolo adotado desde o início da pandemia vem sendo seguido pelas empresas, que inclui sanitização dos coletivos e dos terminais e o uso de máscaras e de álcool 70% em gel.

“Desde o início da pandemia, em 2020, as empresas de ônibus têm seguido rigorosamente todos os protocolos necessários no combate à transmissão do coronavírus. Todos os ônibus são sanitizados minuciosamente, assim como os terminais, e todos os rodoviários e demais funcionários do transporte público utilizam máscaras e álcool 70% em gel. Por fim, todos os ônibus estão sinalizados com o uso obrigatório de máscaras para os passageiros, e as empresas continuam com a recomendação de que todos que utilizam o transporte público portem álcool 70% em gel para seus cuidados pessoais”, disse o Sindicato.

Sobre o aumento da frota anunciado pela Prefeitura de Maceió, o Sinturb afirma que “as empresas têm seguido todas as determinações da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) no que se refere ao número de ônibus em circulação na capital, e reiteram que estão preparadas para seguir qualquer solicitação feita pelo órgão gestor”, completou.

Mais matérias
desta edição