PROFISSIONAIS TEMEM NOVA ONDA, AFIRMA CONSELHO

Coren diz que parte dos profissionais não se recuperou fisicamente nem psicologicamente das primeira
regina carvalho - 15/01/2022
Felipe Brasil/ Agência Alagoas

O presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Alagoas (Coren-AL), Renné Costa, diz que há muitos casos de coinfecção, a flurona. “Já temos notícias que é muito grande o número de afastamentos por suspeita de Covid, misturado aos casos de gripe. E como muitos serviços não querem ofertar o teste, os profissionais precisam ficar afastados cumprindo quarentena, e isso pode provocar carência desses profissionais nos serviços”, afirma Costa.

A Gazeta perguntou ao presidente do Coren/AL sobre o estado físico e emocional dos profissionais com o aumento do número de casos de Covid no início do ano. “Os profissionais estão amedrontados porque não se recuperaram nem fisicamente, nem psicologicamente da primeira e da segunda ondas da pandemia e muitos estão temerosos porque falam que não sabem se resistirão a uma terceira onda da Covid. Os negacionistas questionam ‘como a vacina faz efeito se o número de casos volta a aumentar?’ Mas o intuito da vacina é reduzir os casos graves que precisam de hospitalização e isso tem acontecido”, esclarece Reneé Costa.

De acordo com ele, a entidade vê o agravamento da pandemia com preocupação, cautela e um pouco de medo, porque ainda existem muitas pessoas que não acreditam na vacina e ainda difundem o negacionismo. “Mas o que nós temos assistido é que apesar do grande número de casos de Covid, o número de hospitalizações está estável, e isso é graças à vacina”, afirma Costa.

Reneé acrescenta que as pessoas precisam se vacinar para Alagoas não registrar um novo aumento de hospitalizações, porque nem os profissionais estão prontos, assim como os leitos que foram abertos de forma temporária já foram fechados. “O momento é de atenção e de se manter vigilantes monitorando tudo isso, mas graças a Deus a vacina está fazendo seu efeito”. Sobre o afastamento dos 177 trabalhadores da rede pública estadual, a Sesau informou que está garantindo aos profissionais condições dignas de trabalho e orientando sobre o uso de equipamentos de proteção.