app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

OPLIT PRENDE FALSO ADVOGADO POR ESTELIONATO CONTRA NAMORADA

Suspeito é acusado de golpe de R$ 5 mil e agressão contra “cliente” com quem tinha um relacionamento

Por Jobison Barros | Edição do dia 28/01/2022 - Matéria atualizada em 27/01/2022 às 22h28

Um homem de 35 anos,que se apresentava como advogado e aplicava golpes em Maceió, foi preso na noite de quarta-feira (26). A ação foi realizada pelos Agentes da Operação Policial Litorânea Integrada (Oplit), interrompendo a fuga do suspeito, que foi capturado no Terminal Rodoviário.

Uma das vítimas do golpista foi uma técnica em enfermagem, que contratou os serviços do falso advogado para atuar em um processo de injúria e difamação em que ela figura como vítima. Ao registrar o Boletim de Ocorrência (BO), na Central de Flagrantes, no bairro do Farol, ela contou que acabou tendo um relacionamento com o acusado, com quem passou a namorar, e este teve acesso aos seus cartões e senhas.

O golpe contra a vítima foi em torno de R$ 5 mil, sendo um saque de R$ 3.600, de sua conta-poupança, um saque no picpay no valor de R$ 289,00 e a compra de um aparelho celular. Ela relata ainda que, somente na quarta-feira (26), descobriu que o namorado, que pediu para morar na casa de seus pais, no bairro de Ipioca, era um estelionatário.

Ao saber que havia sido descoberto, o falso advogado chegou a ameaçar e agredir a vítima, apertando seus braços com força e deixando hematomas. Informada sobre o fato, a equipe da Oplit conseguiu localizar o agressor no terminal rodoviário de Maceió, no bairro do Feitosa, quando ele se preparava para fugir. Com ele foram encontrados o aparelho celular - comprado com o cartão da vítima - e R$ 950,00. O dinheiro e o celular foram entregues a ela.

Na Central de Flagrantes, foi levantado que havia um mandado de prisão contra o suspeito expedido pela Justiça do Estado de Sergipe, pelo crime de violência doméstica. Ele ficou detido e ainda deve responder pelos crimes de ameaça, estelionato, lesão corporal e violência doméstica. A vítima foi submetida a exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML).

Mais matérias
desta edição