app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades Alayne da Silva Oliveira, de 28 anos, deu entrada no HGE nesta segunda-feira (20), às 8h53

ASSALTOS TEM MESMO PADRÃO DA TENTATIVA DE LATROCÍNIO CONTRA MOTORISTA DE APP

.

Por Mariane Rodrigues | Edição do dia 21/06/2022 - Matéria atualizada em 20/06/2022 às 23h57

A Polícia Civil de Alagoas investiga se dois homens e uma mulher presos em flagrante nesta segunda-feira (20) suspeitos de dois assaltos cometidos no final de semana contra motoristas por aplicativo têm envolvimento também na tentativa de latrocínio de Alayne da Silva Oliveira, de 28 anos, que foi baleada enquanto trabalhava em uma corrida durante a noite de domingo (19). Nesta segunda-feira, quatro pessoas foram presas suspeitas de cometerem dois assaltos contra motoristas de aplicativo com emprego de violência na madrugada de sábado (18) para domingo. Entretanto, uma delas, uma jovem, foi solta por falta de indícios. Os outros três, dois homens de 20 e 22 anos de idade e uma mulher de 21 permaneceram presos em flagrantes porque foram reconhecidos por outros motoristas.

De acordo com o delegado dos casos, Sidney Tenório, os três utilizaram o mesmo padrão de dinâmica que foi usado contra Alayne. Os condutores eram atraídos para uma corrida, mas surpreendidos em seguida pelo anúncio de assalto. Em um deles, informa a autoridade policial, o motorista foi colocado dentro do porta-malas do automóvel. Em seguida, os criminosos ainda usaram o veículo do condutor para roubar outro profissional da área.

Apesar das semelhanças apontadas, o delegado disse que não pode confirmar que os três também participaram da tentativa de latrocínio contra Alayne. “Há similitudes no modus operandi. Há muitas semelhanças, indícios, mas ainda não vamos pedir prisão temporária no caso da Alayne. O reconhecimento de Alayne é fundamental, vamos tentar recuperar celular dela.”, disse o delegado, em entrevista à TV Pajuçara.


ESTADO DE SAÚDE

Alayne da Silva Oliveira reagiu bem à cirurgia para a retirada de fragmentos de projétil da cabeça. O boletim do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, com informações atualizadas às 15h24. Segundo informações de uma equipe da unidade, que acompanha o caso, “a cirurgia foi considerada muito boa e que agora é aguardar”. A vítima deu entrada no HGE nesta segunda-feira (20), às 8h53, com ferimento causado por arma de fogo na cabeça, após uma suposta tentativa de latrocínio.

Mais matérias
desta edição