app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Cidades

Morador do Esplanada reclama da inseguran�a

Falta de iluminação e de segurança pública, lama, buracos, ruas intransitáveis quando chove. Essa é a situação em que vivem os moradores dos loteamentos São Caetano, Oscar Brasileiro e Palmares, que fazem parte do Conjunto Esplanada, no Tabuleiro do Mar

Por | Edição do dia 19/04/2002 - Matéria atualizada em 19/04/2002 às 00h00

Falta de iluminação e de segurança pública, lama, buracos, ruas intransitáveis quando chove. Essa é a situação em que vivem os moradores dos loteamentos São Caetano, Oscar Brasileiro e Palmares, que fazem parte do Conjunto Esplanada, no Tabuleiro do Martins, próximo ao Conjunto Eustáquio Gomes. Os moradores já não sabem mais para quem apelar, pois a onda de assaltos às residências tomou conta do local e tem deixado a comunidade com receio. “Aqui, os bandidos invadem as casas em plena luz do dia”, reclamou a moradora Maria de Fátima da Silva. Segundo ela, o descaso das autoridades é total. “Além da falta de segurança, a iluminação é precária, o que torna o local ainda mais perigoso quando anoitece. A população vive com medo”, reforçou. A associação dos moradores do conjunto já solicitou um PM Box para o local e também encaminhou pedido à Companhia Energética de Alagoas (Ceal), para recolocar as lâmpadas nos postes que estão há vários meses apagadas, mas até agora nenhum dos problemas foi solucionado. “Na entrada do conjunto, por exemplo, já vemos alguns postes com as lâmpadas quebradas, uma ação dos malandros que têm a intenção de roubar os moradores”, disse Maurício Teixeira de Amorim, membro da associação. De acordo com ele, há algum tempo a Polícia Militar chegou a colocar um trailler no conjunto, mas só por três meses, pois eles teriam alegado que não poderia ficar por mais tempo. “Enquanto isso, a gente corre risco de vida, tendo que conviver com a ação dos bandidos”, lamenta Maurício. Ainda segundo os moradores, existem muitos terrenos baldios no conjunto, que estão mal iluminados, além de campos de futebol abandonados, o que aumenta o risco de assaltos. “A noite é terrível, pois fica a maior escuridão. Quando as garotas saem para pegar o ônibus para a escola, são assediadas e até levam carreira dos malandros”, disse a também moradora Zenilda Ferreira.

Mais matérias
desta edição