app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5709
Cidades

Recapeamento em hor�rio de pico congestiona a Fernandes Lima

Uma obra de recapeamento na Avenida Fernandes Lima, próximo ao Hospital dos Usineiros, causou grande congestionamento, na manhã de ontem, no Farol. O trânsito também ficou parado em quase todas as ruas do bairro, e quem tentava ir em direção ao Tabuleiro

Por | Edição do dia 20/04/2002 - Matéria atualizada em 20/04/2002 às 00h00

Uma obra de recapeamento na Avenida Fernandes Lima, próximo ao Hospital dos Usineiros, causou grande congestionamento, na manhã de ontem, no Farol. O trânsito também ficou parado em quase todas as ruas do bairro, e quem tentava ir em direção ao Tabuleiro do Martins ficou preso dentro do carro por quase uma hora. O trânsito no trecho da Fernandes Lima, no sentido Centro-Tabuleiro, ficou limitado a uma das pistas, devido ao trabalho de homens e máquinas. O recapeamento começou no início da manhã e somente foi concluído por volta das 13 horas, fazendo com que muitas pessoas perdessem o horário de almoço presas no congestionamento. Dentro dos veículos o que se via era os motoristas inconformados com a realização da obra, justamente no horário de maior movimentação de carros na principal avenida de Maceió. “Esse trabalho demonstra incompetência de quem comandou o serviço, já que ele deveria ser realizado em um horário de pouco movimento, como durante a noite ou no fim de semana”, reclamou o funcionário público Carlos Fabiano. A insatisfação era nítida também nos que precisavam de transporte coletivo para chegar ao trabalho. “Eu fiquei por mais de uma hora dentro de um ônibus para percorrer menos de dois quilômetros e com certeza vou chegar atrasado no trabalho. Quando mandarem fazer uma obra desse tipo eles precisam pensar antes nos prejuízos que vão causar a população”, ressaltou o estudante Tácito Ferreira. A GAZETA tentou entrar em contato com a Superintendência Municipal de Obras e Urbanização (Somurb) para que eles explicassem o porquê da realização da obra no horário de pico, mas os telefones celulares dos diretores do órgão estavam desligados.

Mais matérias
desta edição