app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Cidades 54% das crianças aptas a receber a dose ainda não buscaram a vacinação em Maceió

APENAS 41% DAS CRIANÇAS ESTÃO VACINADAS CONTRA A POLIOMIELITE

Prorrogada por duas vezes, campanha precisa imunizar 95% do público-alvo, como preconiza ministério

Por Rayssa Cavalcante | Edição do dia 13/10/2022 - Matéria atualizada em 13/10/2022 às 04h00

A cobertura da vacinação contra a poliomielite em Maceió chegou aos 41%, mas ainda não é o ideal. Os dados atualizados foram divulgados pela Prefeitura de Maceió, nessa terça-feira (11). A meta do Ministério da Saúde (MS) é que pelo menos 95% crianças sejam imunizadas contra a doença, que causa paralisia infantil. Sendo assim, 54% das crianças aptas a receber a dose ainda não buscaram a vacinação. Diante do cenário de baixa adesão, inclusive, a campanha na capital alagoana já foi adiada duas vezes. Agora, as ações realizaram pela secretaria de Saúde acontecem até 31 de outubro. Ontem, quando foi celebrado o Dia das Crianças, os papais e mamães puderam levar os filhos para se vacinarem na Rua Aberta da Ponta Verde vacinação infantil. Na ocasião, foram aplicadas doses contra a Covid-19, poliomielite e demais imunizantes do Calendário Básico de Vacinação. Nesta quarta-feira (12), quando se comemorou também o Dia de Nossa Senhora Aparecida, o Ministério da Saúde promoveu mais um ato de vacinação contra a poliomielite e multivacinação na cidade de Aparecida, interior do estado de São Paulo. Com o objetivo de manter o Brasil livre da poliomielite, o ato teve início às 9 horas e contou com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, além de autoridades locais. “Hoje é um dia duplamente especial. As crianças que são o futuro do nosso país e cabe a nós protegê-las com vacinas”, frisou. Pelo menos 14,3 milhões de crianças menores de cinco anos de idade fazem parte do público-alvo da imunização contra a pólio. Com mais de 18 milhões de doses da vacina contra a doença distribuídas para todo o Brasil, o ministro Queiroga reforçou a importância de ampliar a cobertura vacinal.

Mais matérias
desta edição