app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Cidades O Estado é 0 3º do Nordeste com menor taxa estimada para novos casos de câncer de mama

MAIS DE 7,1 MIL MAMOGRAFIAS FORAM REALIZADAS EM MACEIÓ NO 1º SEMESTRE

Alagoas tem uma taxa estimada de 37,04 (taxa ajustada) de diagnóstico para cada 100 mil mulheres

Por Greyce Bernardino | Edição do dia 15/10/2022 - Matéria atualizada em 15/10/2022 às 04h00

A campanha Outubro Rosa começou e tem por objetivo principal alertar a todos a respeito do câncer de mama e da importância de um diagnóstico precoce. Um dos principais exames que ajuda as mulheres a identificar a doença é a mamografia que, em Alagoas, pode ser realizada na rede pública e nos prestadores de serviço contratualizados pela Prefeitura de Maceió, por exemplo. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Maceió (SMS), de janeiro a julho deste ano, 7.161 exames já foram realizados. Já em 2021, nos doze meses, 13.927 mamografias foram feitas na capital. O Instituto Nacional de Câncer (Inca) detalha que a produção de mamografia no Sistema Único de Saúde (SUS) engloba a de rastreamento, indicada para as mulheres de 50 a 69 anos sem sinais e sintomas de câncer de mama (a cada dois anos) e a diagnóstica (indicada para avaliar lesões mamárias suspeitas em qualquer idade, também em homens). O Instituto também estima mais de 66 mil novos casos de câncer de mama para 2022, no Brasil. Alagoas, por sua vez, tem uma taxa estimada de 37,04 (taxa ajustada) de diagnóstico para cada 100 mil mulheres e é estimado 620 novos casos em 2022, segundo o Inca. O Estado é terceiro do Nordeste com a menor taxa estimada para novos casos, ficando atrás apenas de Maranhão e Piauí, respectivamente. “Por isso, é muito importante que as mulheres mantenham o acompanhamento integral na Atenção Primária à Saúde e realizem o exame de rastreamento na periodicidade adequada, além de adotarem a estratégia de conscientização, estando mais atentas ao conhecimento do seu corpo, como os aspectos normais das mamas e reconhecimento de alterações suspeitas, para que possam procurar um serviço de saúde o mais cedo possível. Como outros tipos de câncer, a detecção precoce é fundamental para um tratamento de sucesso”, explica o INCA.

TRATAMENTO

O câncer de mama não pode ser evitado, mas pode ser descoberto em estágio precoce acelerando o início do tratamento. Para isso, a cada ano, o arsenal de novas técnicas cirúrgicas, medicamentos, e exames, aumenta na Santa Casa de Maceió, o que reforça o combate à doença e retira das estatísticas de mortalidade do Inca pacientes afetadas pela patologia. “A Santa Casa de Maceió é o maior complexo de oncologia de Alagoas, e o maior CACON. Ela possui todas as armas contra o câncer, especificamente contra o de mama, como a radioterapia, cirurgias de alta qualidade, equipe clínica maravilhosa, cirurgiões plásticos e, agora, com a imunoterapia. O hospital também dispõe do PET Scan, e já está em vistas de comprar um mamótomo, aparelho que vai ajudar a definir melhor a biópsia das mamas”, ressalta o mastologista da Santa Casa de Maceió, João Aderbal. O especialista também destaca a evolução das cirurgias de mama. “Chegamos em um estágio onde muitas mulheres saem com a mama mais bonita do que quando chegaram ao hospital. Isso é possível por conta do grupo de profissionais muito bem preparados na residência médica pelo doutor Frederico Rocha, que treina seus alunos para a cirurgia com enfoque na oncoplástica, quando o próprio mastologista consegue fazer a reparadora, evitando que a paciente espere por um cirurgião plástico”, finaliza o mastologista.

Mais matérias
desta edição