app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5757
Cidades

Ferramenta da SSP deve reduzir roubos e furtos de celulares

‘Alerta Celular’ permite cria um banco de dados dos telefones e assim acaba por dificultar a revenda do objeto após ação de assaltantes

Por Regina Carvalho | Edição do dia 25/11/2022 - Matéria atualizada em 25/11/2022 às 04h00

Ferramenta disponibilizada pela Secretaria de Segurança Pública de Alagoas é uma aposta para reduzir o número de assaltos, especialmente os que têm como alvos os aparelhos celulares. Ela permite localizar o telefone, que tenha sido furtado, roubado ou extraviado. Trata-se do Alerta Celular, que cria um banco de dados dos telefones e assim acaba por dificultar a revenda do objeto após ação de assaltantes. A medida facilita a devolução ao verdadeiro dono.

Major Anderson Cabral, chefe de Informatização e Segurança da SSP, destaca que os estados que implantaram a ferramenta já começam a colher frutos. “Os estados do Nordeste que implantaram essa ferramenta já registram dados positivos, com redução do número de casos. Acreditamos que isso também vai ocorrer aqui”, afirma.

De acordo com informações da SSP, o sistema pode ser acessado pela internet, em computadores, celulares e tablets de todas as regiões. 

“O número de cadastros tem aumentado. Temos percebido isso e a tendência é que mais gente faça o cadastro. Acredito que todos os estados do Nordeste já disponibilizam a ferramenta”, acrescenta major Cabral, sobre o Alerta Celular. “Pelo que acompanhamos em mais de 70% dos roubos ou furtos a transeuntes o alvo é o aparelho celular”, afirma. 

Com a ferramenta, o interesse dos criminosos pelo aparelho deve cair. “Com a ferramenta, tiramos o interesse pela comercialização porque pode gerar até a prisão por receptação, uma média de 8 anos de reclusão”, destaca major Cabral. 

A SSP esclarece que para que a ferramenta dê resultados, os donos dos telefones devem cadastrar os celulares no sistema e, na possibilidade de terem o equipamento levado por bandidos, eles mesmos acionam a SSP através do Alerta. O banco de dados também permite que, durante uma abordagem, os policiais também verifiquem o status do item apreendido ou em análise que esteja cadastrado.

Sendo assim, caso seja confirmado que o equipamento tenha origem ilícita, o indivíduo que estiver de sua posse será encaminhado à delegacia para a realização dos procedimentos cabíveis junto à Polícia Judiciária. A partir do cadastro feito no site, o verdadeiro dono é acionado através do e-mail e receberá o aparelho de volta.

“É muito simples, basta incluir dados pessoais, ter o número do IMEI, que é o número que identifica o aparelho e estar atualizando os órgãos da Segurança Pública sobre o status do equipamento. A partir daí, todos os aparelhos apreendidos pelos policiais terão as informações cruzadas no banco de dados e caso seja reconhecido algum que tenha sido subtraído de forma ilícita, ele logo será entregue”, disse o major Cabral. O cadastro pode ser feito no site https://www.alertacelular.al.gov.br. 

Mais matérias
desta edição