app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5757
Cidades

Trabalhadores podem retornar hoje a seus acampamentos

Os cerca de 1.000 trabalhadores rurais que estão acampados na Praça Afrânio Jorge (Faculdade), desde a última quinta-feira, 18, já começaram a deixar a capital alagoana e retornar aos seus assentamentos ou terras ocupadas em outros municípios. Integrant

Por | Edição do dia 24/04/2002 - Matéria atualizada em 24/04/2002 às 00h00

Os cerca de 1.000 trabalhadores rurais que estão acampados na Praça Afrânio Jorge (Faculdade), desde a última quinta-feira, 18, já começaram a deixar a capital alagoana e retornar aos seus assentamentos ou terras ocupadas em outros municípios. Integrantes da Coordenação da Pastoral da Terra (CPT) e do Movimento dos Trabalhadores (MT), por exemplo, já deixaram o local e apenas os componentes do Movimento Sem Terra (MST) permanecem acampados na praça. Os trabalhadores rurais estão aguardando o resultado de uma reunião, em Brasília, ocorrida no fim da tarde de ontem, com relação às reivindicações feitas pelo movimento, entre elas, liberação de terras, de projetos de crédito, desapropriação de terras em conflito, vistoria e assistência técnica nos acampamentos. Para esta reunião, inclusive, a liderança do MST em Alagoas enviou um representante do Estado à capital federal. “A previsão é de que deixemos o acampamento da praça amanhã (hoje), mas tudo vai depender dessa reunião e também da liberação das cestas básicas pleiteadas junto à Secretaria de Assistência Social, no dia de ontem. Se não houver um acordo, permaneceremos em Maceió por tempo indeterminado”, disse Jaelson Melquides, da liderança do MST. Segundo ele, a intenção dos sem-terra é deixar a capital alagoana de posse das cestas básicas. “Queremos que o governo do Estado interfira nessa decisão. O governo tem fornecido as cestas enquanto estamos por aqui, mas queremos mais para levar para os acampamentos”, finalizou Jaelson.

Mais matérias
desta edição