app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Cidades

Mais de 32,5 mil casos prováveis de dengue são registrados em AL

União dos Palmares é um dos municípios com maiores registros de casos prováveis de Chikungunya, aponta Ministério da Saúde

Por greyce bernardino | Edição do dia 15/12/2022 - Matéria atualizada em 15/12/2022 às 07h54

Levantamento da Semana Epidemiológica 48, de 27 de novembro a três de dezembro, divulgado pelo Ministério da Saúde (MS), mostra que a Região Nordeste registrou mais de 242.520 mil casos prováveis de dengue. Somente em Alagoas, foram 32.524 mil casos. Na semana 47, de 20 a 26 de dezembro, o número no Estado era de 32.373 mil casos. De uma semana para outra, houve aumento de 151 casos prováveis. A taxa de incidência no Estado está em 966,4 casos por 100 mil habitantes, a segunda maior da região Nordeste, atrás apenas do Rio Grande do Norte, que apresenta taxa de 1.170,1 casos por 100 mil habitantes. O Ministério da Saúde tem investido em ações de combate à dengue de forma permanente. Para isso, a pasta realiza periodicamente reuniões com representantes de estados e municípios para avaliação dos cenários locais e adequação das estratégias de combate ao mosquito Aedes aegypti à realidade de cada região. No Brasil, foram 978 mortes por dengue em 2022. O total acumulado neste ano até 5 de dezembro já supera o verificado em cada um dos últimos seis anos. Em Alagoas, de janeiro a outubro deste ano, foram seis mortes. O número é um alerta para uma nova epidemia da doença, que vem atingindo todas as regiões do País e deve se manter nos primeiros meses de 2023.

Chikungunya e zika

Quanto aos casos prováveis de chikungunya, Alagoas registrou, na Semana 48, 10.370 casos prováveis, enquanto na Semana 47, o número era de 10.281, aumento de 29 casos . Já com relação aos casos de zika, a Região Nordeste apresentou a maior incidência de casos (13,6 casos/100 mil hab.), seguida das Regiões Norte (3,2 casos/100 mil hab.) e Centro- -Oeste (1,7 casos/100 mil hab.). Os municípios que apresentaram os maiores registros de casos prováveis de zika até a Semana 48: União dos Palmares/AL, com 377 casos (571,5 casos/100 mil hab.), Parnamirim/RN, com 289 casos (106,1 casos/100 mil hab.), Macaíba/RN com 278 casos (335,6 casos/100 mil hab.), Natal/RN, com 259 casos (28,9 casos/100 mil hab.), Extremoz/RN, com 246 casos (840,1 casos/100 mil hab.) Macajuba/BA com 233 casos (2.058,7 casos/100 mil hab.), e Baía Formosa/RN com 208 casos (2.219,1 casos/100 mil hab.).

Até a Semana Epidemiológica 41 foram registrados 575 casos prováveis de zika em gestantes, destes 157 foram confirmados. Os estados que mais confirmaram casos de zika em gestantes foram Rio Grande do Norte (210), Bahia (53), Paraíba (52), Pernambuco (44) e Alagoas (41), concentrando 69,6% dos casos no Brasil.

Mais matérias
desta edição