app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5712
Cidades

Municípios levam primeiros socorros às creches por meio do programa

O Samu de Alagoas possui um Núcleo de Educação Permanente (NEP), que leva cursos de primeiros socorros para creches do interior de Alagoas e escolas do ensino fundamental. Dentre eles, o Escola Segura, que foca nas creches. O objetivo principal é levar tr

Por Mariane Rodrigues | Edição do dia 17/12/2022 - Matéria atualizada em 17/12/2022 às 04h00

O Samu de Alagoas possui um Núcleo de Educação Permanente (NEP), que leva cursos de primeiros socorros para creches do interior de Alagoas e escolas do ensino fundamental. Dentre eles, o Escola Segura, que foca nas creches. O objetivo principal é levar treinamento aos profissionais para que atuem nas causas de urgência e emergência, em especial, quando crianças do berçário até os 12 anos forem as vítimas. 

“Entendemos que o Samu precisa atuar junto à sociedade, promovendo capacitações que possam também ajudar a salvar. Só uma condição de primeiros socorros é que agente consegue restaurar as vítimas. Numa parada cardíaca, por exemplo, não adianta chegar uma Unidade de Suporte Avançado, atendendo um paciente que ficou parado sem receber as primeiras medidas nos cinco a 10 primeiros minutos. O cérebro já morre nesses minutos e vai ter sequelas pouco prováveis de serem revertidas. Só 10% das paradas cardíacas reanimadas conseguem ter sucesso, desde que as pessoas iniciem no local imediatamente as compressões torácicas. Por isso a importância dos primeiros socorros”, explica o coordenador do Núcleo de Educação Pernamente do Samu, Jordiran Soares. 

Entretanto, a parada cardiorrespiratória não é o único fator em que os procedimentos iniciais são fundamentais. “Nos cursos, não atuamos apenas com paradas cardíacas, mas outros temas: técnicas de desengasgamentos nas crianças e adolescentes, crises convulsivas, choques elétricos, acidentes. A gente faz um apanhado dos principais temas, ensinando aos leigos técnicas que podem utilizar, sem qualquer equipamento, mas que vai garantir as primeiras medidas mais importantes”, expõe o coordenador. 

Os cursos são levados gratuitamente aos municípios que possuem creches vinculadas ao Cria, programa Criança Alagoas do Governo do Estado. Já receberam as ações as cidades de São Luís do Quitunde, Matriz do Camaragibe, Viçosa, Monteirópolis, São José da Tapera, Santa Luzia do Norte, Marechal Deodoro e Mar Vermelho.

A cada município, segundo o Samu, o programa atende 30 pessoas, tendo 240 profissionais de creches alagoanas já recebido a capacitação. Mas já há treinamento previsto para outros municípios. 

“Entendemos que nossa missão deve ir além de salvar, mas ensinar o maior número de pessoas para atuar diante de urgência e emergência que pode colocar em xeque a vida de uma pessoa”, finaliza. 

Quem sabe bem como é estar preparado para os procedimentos de primeiros socorros é o garçom da rede hoteleira  Sirlan dos Santos, de 28 anos, que já salvou a vida de duas pessoas utilizando técnicas aprendidas em capacitações do Samu e outras oferecidas por instituições. 

O primeiro deles ocorreu no bairro de Riacho Doce. Sirlan conta que estava em um churrasco em uma praça, quando houve uma colisão entre carro e uma motocicleta. “O motoqueiro ficou em cima do capô do carro. Estabilizei, imobilizei e tirei ele do capô, porque estava muito quente. Fiz os primeiros socorros. Se eu não estivesse no local, poderia ter uma queimadura severa”, afirma Sirlan. 

O segundo episódio ocorreu na Praia de Ipioca. “Vi uum senhor sentado na cadeira, com a esposa e a família ao redor dizendo que ele estava morrendo”, conta, Sirlan diz que o homem estava cianótico – roxo – com a barriga inchada. “Peguei ele na cadeira e deitei ele na posição lateral direita de segurança e quando eu fiz isso ele começou a colocar água pra fora e espuma. Liguei para o Samu, e fiz o pedido para comparecer ao local e disse: grau dois de afogamento. O Samu já cortou a triagem que ele sempre faz.  Quando a equipe chegou, o médico perguntou quem fez os primeiros socorros. Aí o médico disse: ‘Agradeça a ele, porque aquele rapaz salvou a vida do seu esposo’. Ele iria falecer sentado na cadeira, engasgado com o próprio vômito. O senhor tinha 58 anos de idade”, diz Sirlan.

Mais matérias
desta edição