app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Cidades

Covid: 22% das mortes em AL são de pacientes sem comorbidades

Segundo a Sesau, após doze meses, número de mortes chegou a 1.594 pessoas nesta categoria

Por greyce bernardino | Edição do dia 28/12/2022 - Matéria atualizada em 28/12/2022 às 04h00

Com 7.188 mortes por Covid-19 em Alagoas, os pacientes que perderam a vida sem apresentar nenhuma comorbidade já representam uma taxa 22%, um percentual que só aumenta desde o início da pandemia. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

Segundo boletim epidemiológico da secretaria, em 1° de janeiro deste ano, 1.413 pessoas sem comorbidades haviam morrido em decorrência do vírus no Estado. Após mais de doze meses, em 26 de dezembro do mesmo ano, o número passou para 1.594 mortes. Isso representa o aumento de 22% nos casos. 

O número de vítimas nesta categoria (sem comorbidade) fica atrás, apenas, dos registros de mortes de pacientes com diabetes e hipertensão arterial, respectivamente. No Estado, desde o início da pandemia, 2.767 pessoas com diabetes perderam a vida pela Covid. Já com hipertensão, foram 2.519 vítimas. 

A diabetes, por sua vez, é a comorbidade que mais matou alagoanos por Covid-19, conforme mostram os boletins da Sesau, enviados à imprensa diariamente. 

Uma Pesquisa da Fiocruz comprovou que pessoas com pré-diabetes têm mais chance de ter Covid-19 grave. 

“A pesquisa comparou os biomarcadores sanguíneos de pacientes com pré-diabetes e pacientes sem pré-diabetes durante a fase mais grave da infecção e três meses após a hospitalização. Foi notado que pacientes pré-diabéticos necessitaram de maior tempo de hospitalização, com uma média de 15 dias comparada a média de 8 dias dos pacientes sem pré-diabetes. Indivíduos pré-diabéticos que requeriram cuidados intensivos chegaram a 78% dos casos, em comparação com 56% dos pacientes sem pré-diabetes que necessitaram dos mesmos cuidados. Além disso, pré-diabéticos também apresentaram maior grau de lesão pulmonar”, diz a pesquisa. 

FAIXA ETÁRIA

A faixa etária com mais mortes por Covid-19, com ou sem comorbidade, são os idosos com 60 anos ou mais. Das 7.188 mortes no Estado, 3.483 são do sexo masculino, e 3.705 do sexo feminino. 

Para frear o número de óbitos por Covid, bem como o número de infectados pelo vírus, o Governo de Alagoas, desde o início da pandemia, adotou uma série de medidas, como investimentos para ampliar o número de leitos, decretos com restrições seguindo as regras do Ministério da Saúde, assim como celeridade na distribuição e aplicação das vacinas. 

Maceió, capital alagoana, já liderou, inclusive o ranking nacional das capitais com maior eficiência vacinal contra o coronavírus.

REUNIÃO GRUPO TÉCNICO

A última reunião do ano do Grupo Técnico Científico (GTC) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) acontecerá hoje (28), às 9h na sede do órgão no Jaraguá. No encontro será analisada a sazonalidade do novo coronavírus, as medidas sanitárias para prevenir a sua disseminação e a cobertura vacinal nos 102 municípios alagoanos.

A reunião, que acontece semanalmente, contará com a participação de integrantes da Central Estadual de Regulação de Leitos, gestores hospitalares, além de infectologistas e técnicos em epidemiologia. Durante o encontro, também serão discutidos os dados dos Boletins Epidemiológicos emitidos diariamente pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), bem como, a ocupação de leitos de Enfermaria e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“A Covid-19 é uma doença cujo número de casos pode aumentar, diminuir ou estabilizar, dependendo da estação do ano e do comportamento das pessoas, uma vez que há medidas que podem ser adotadas para controlar a sua disseminação. Por isso, os encontros semanais são fundamentais para monitorar casos, internações e óbitos”, salientou o chefe do Gabinete de Combate às Doenças Infecciosas da Sesau, infectologista Renee Oliveira.

Medidas adotadas

Este ano, desde que o Grupo Técnico Científico foi formado e passou a se reunir semanalmente, os integrantes já repassaram diversas orientações à população. Além das recomendações sobre as medidas de prevenção contra a Covid-19, os técnicos já orientaram os alagoanos a completarem o esquema vacinal referente ao novo coronavírus, usarem máscaras de proteção facial nos ambientes fechados e no transporte público, além de lavarem as mãos com frequência, priorizando o uso do álcool em gel a 70% ou sabão.

O secretário de Estado da Saúde, Gustavo Pontes de Miranda, destacou que o GTC tem o papel de analisar os casos e monitorar o comportamento da doença em Alagoas, auxiliando a gestão da saúde estadual na tomada de decisões. “Com base nas análises realizadas, abrimos mais de 60 leitos hospitalares exclusivos para atender pacientes com a Covid-19. Isso mostra a relevância das reuniões semanais”, disse Gustavo Pontes.

Mais matérias
desta edição