app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Cidades Material escolar está na relação das despesas previstas para o início do ano que se inicia

Consumidores alagoanos iniciam ano pagando contas

Economista aconselha que cada um faça um levantamento do orçamento doméstico e conheça a sua realidade financeira

Por Greyce Bernardino | Edição do dia 31/12/2022 - Matéria atualizada em 31/12/2022 às 04h00

Todo fim de ano é um momento de reflexão e, por isso, muitas famílias aproveitam para traçar metas para o novo ano que vai chegar. Um dos principais objetivos é a organização da vida financeira. A maioria das famílias alagoanas deseja se livrar das dívidas e passar um ano tranquilo. Para isso, o economista André Luiz Gomes aconselha que cada um faça um levantamento do orçamento doméstico e conheça a sua realidade financeira. “Segundo especialistas, a gente só pode comprometer o orçamento com dívida em até 30%. Então, é bom fazer esse levantamento em casa, para saber onde está o problema, o foco do endividamento, e, posteriormente, ver o que pode economizar ou cortar na ‘carne’”, disse. Ainda segundo Gomes, é necessário também entender a diferença entre estar endividado e inadimplente. “Existe o indivíduo que contrai a dívida e aquele que está inadimplente, que é a pessoa que não está honrando com o compromisso. Ou seja, o endividado honra seu compromisso, paga suas parcelas de modo certo, enquanto o inadimplente atrasa ou não paga os seus credores”, explicou. "Aquele que está honrando vai observar se tem algum resíduo do orçamento para poder quitar uma dívida a vencer. Já o que não está honrando, vai ter que fazer um reordenamento de suas defesas, para ver o que pode pagar de imediato, que geralmente é a maior dívida, que gera um juro alto ”, aconselhou. Ele ainda aconselha antecipar parcelas de dívidas sempre que puder. “A última parcela é a que tem menos juros ou a que não têm juros. Você antecipando o contrato, acaba eliminado os encargos legais, amortiza a dívida e diminui seu saldo devedor”, falou.

Cartão de crédito

Muitas pessoas usam o cartão de crédito de maneira demasiada, acumulando várias parcelas e, consequentemente, acabam adquirindo dívidas. “Tem que ter consciência de usar o cartão. Ali é um dinheiro que não está em seu bolso, é uma quantia virtual que você acha que tem além de sua receita mensal; porém, é algo que não é fruto de seu trabalho”, alertou o economista. "Se tiver condição de pagar a fatura total, pague além do mínimo. Caso não, ligue para o seu credor e negocie o valor, para reduzir o juros”, continuou.

Mês de janeiro

No mês de janeiro vem diversas despesas: IPVA, IPTU, material escolar, dentre outros. Porém, tem que deixar o desespero de lado, dando lugar a organização, segundo Gomes. “Se você está em dia com suas dívidas e tem um resíduo que dá um certo conforto, prioriza as primeiras dívidas do ano”, falou. Já dezembro é mês festivo, com troca de presentes e confraternizações. O economista alerta: "Sobrou um dinheiro, prioriza as contas. O décimo terceiro é liberado neste mês, porém é um dinheiro extra, que além de servir para a diversão, deve ser investido também. Aconselho pegar um parcela mínima do valor e investir ’, concluiu.

Mais matérias
desta edição