app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Cidades

Empresário é assassinado a tiros após discussão com PM da reserva

Fábio Campagnola era italiano e foi morto em frente à sorveteria da qual era sócio na Praia do Francês

Por Hebert Borges | Edição do dia 04/01/2023 - Matéria atualizada em 04/01/2023 às 08h44

O empresário italiano Fabio Campagnola, de 51 anos, que foi assassinado na Praia do Francês nesta terça-feira (3) pode ter sido morto por causa de um carrinho de churros. Segundo a polícia que investiga o caso, a esposa do suspeito do disparo que vitimou o italiano está presa, mas ainda não foi informada a relação dela com o caso.

Um policial militar da reserva seria o responsável pelos disparos que vitimou o empresário e teria cometido o crime porque queria colocar um carrinho de churros na porta do estabelecimento comercial de propriedade do italiano, o que não era permitido pela vítima.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) informou que foi acionado para a ocorrências às 14h30. A vítima foi atendida pela equipe médica de uma Unidade de Suporte Avançado (USA-UTI móvel) com perfuração por arma de fogo no tórax e na perna. “Em um quadro de parada cardiorrespiratória, o paciente foi submetido a diversos ciclos de reanimação cardiopulmonar (RCP), mas veio a óbito ainda no local”, informou a nota.

O assassinato ocorreu em local de movimentação de turistas na Praia do Francês, onde existem pousadas e restaurantes. Fabio Campagnola tinha 51 anos e era pai de uma criança de 7 anos, fruto do relacionamento com uma mulher alagoana. Nas redes sociais, o italiano demonstrava o amor pelo filho, família, amigos e pela comida brasileira. O empresário italiano abriu a sorveteria Il Meneghino, na Praia do Francês, em abril de 2013 e era sócio-administrador da lanchonete Pippos lanches e refeições, no bairro da Ponta Verde, em Maceió, desde o ano 2019.

Mais matérias
desta edição