app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Cidades

AL tem maior n�mero de casos de dengue no NE

DORGIVAL JUNIOR Alagoas, segundo dados divulgados pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (MS), foi o Estado nordestino que registrou o maior número de casos confirmados de dengue em 2004. Das 31.952 notificações em toda a região, 6

Por | Edição do dia 22/01/2005 - Matéria atualizada em 22/01/2005 às 00h00

DORGIVAL JUNIOR Alagoas, segundo dados divulgados pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (MS), foi o Estado nordestino que registrou o maior número de casos confirmados de dengue em 2004. Das 31.952 notificações em toda a região, 6.547 ocorreram em Alagoas, que também apresentou o menor percentual de redução no número de casos: 34,05%. Segundo o relatório do Ministério, quatro municípios – Maceió, Palmeira dos Índios, Rio Largo e Santana do Ipanema – concentraram 62% dos casos no Estado. De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica do Estado, Cleide Moreira, a  informação repassada pelo Ministério da Saúde não significa  que Alagoas não tenha obtido  êxito na luta contra o mosquito  da dengue, o Aedes aegypti. “Mantivemos, em 2004, uma redução em torno de 30%. Não tivemos epidemias. Os outros estados reduziram o número de casos porque, no passado, tiveram epidemias de dengue. Em conseqüência, em 2004, menos pessoas tiveram a doença”, argumentou a coordenadora, lembrando que, no ano passado, Alagoas só registrou um caso de morte por dengue hemorrágica. “Estamos mantendo um bom controle da doença, evitando surtos epidêmicos. A nossa redução foi a esperada e vem diminuindo a cada ano”, disse Cleide Moreira. Segundo ela, nos 20 primeiros dias de 2005 foram registrados em Alagoas dez casos da doença. De acordo com dados apresentados pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Estado, Alagoas teve no mesmo período, no ano passado, 235 casos confirmados de dengue. “Nas primeiras semanas de janeiro de 2003, o número de casos foi de 341, e, em 2002, foi de 356. Com muito esforço, estamos conseguindo controlar o avanço da doença”, disse Cleide Moreira, esclarecendo que até o fim deste mês o número de casos pode aumentar. “Principalmente, se a chuva de verão realmente ocorrer”, alertou ela. Cleide Moreira esclareceu ainda que, dos dez casos confirmados de dengue este ano, oito foram na capital alagoana e dois no município de Olivença, no alto sertão alagoano. “Em Maceió, quatro casos foram registrados no bairro do Tabuleiro, três no Clima Bom e um no Jardim Petrópolis”, revelou. Segundo ela, uma verdadeira barreira epidemiológica foi montada para evitar o avanço da doença nos demais bairros da cidade e no interior do Estado, entre os municípios próximos à Olivença. “Carros fumacê e agentes  estão nas ruas para evitar que a  doença avance”, disse Cleide  Moreira, lembrando que a população deve ajudar, acabando  com os criadouros de larvas do  Aedes aegypti em casa, como vasos de planta com água, pneus vazios e lixo acumulado em quintais. “Se a população fizer a sua parte, o trabalho de combate à proliferação do mosquito pode ter um êxito maior”, finalizou ela.

Mais matérias
desta edição