app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Cidades

Bloqueio de �rea intensifica preven��o

O bloqueio das áreas afetadas pela dengue, explica Paulo de Carvalho, é a intensificação dos trabalhos de prevenção e tratamento de focos em locais onde casos são notificados, num raio de até nove quarteirões, ou mais, se o caso exigir. A Coordenadora de

Por | Edição do dia 25/01/2005 - Matéria atualizada em 25/01/2005 às 00h00

O bloqueio das áreas afetadas pela dengue, explica Paulo de Carvalho, é a intensificação dos trabalhos de prevenção e tratamento de focos em locais onde casos são notificados, num raio de até nove quarteirões, ou mais, se o caso exigir. A Coordenadora de Vigilância Epidemiológica do Estado, Cleide Moreira, disse que o número de notificações de dengue em Alagoas, apontado pelo Ministério da Saúde (MS), é resultado do trabalho intenso e da vigilância ativa dos setores em Alagoas, no controle da doença. Ela diz que a redução registrada no ano passado, em relação a 2003, foi de 34%, acima da meta estabelecida pelo MS, que era de 25%, e destaca que só os Estados que viveram epidemias, como Pernambuco, conseguiram registrar índices maiores de redução. “Nos últimos três anos, temos reduzido sempre acima da meta. E como há um controle da doença, os dados do Ministério da Saúde, na nossa avaliação, são positivos para nós”, disse a coordenadora. Na semana passada o MS divulgou informações de que Alagoas seria o Estado nordestino com maior número de casos registrados em 2004. Das 31.952 notificações da doença no Nordeste, 6.547 ocorreram aqui. Cleide acredita que em alguns Estados possa estar havendo subnotificação, o que resulta num quadro irreal que, aparentemente, aponta para uma situação privilegiada. “No nosso caso os números são reais, porque mantemos uma vigilância ativa e um total controle da área”, diz Cleide Moreira.

Mais matérias
desta edição