app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5758
Cidades

Passageiros humilhados e roubados

O encanador Antônio de Araújo afirmou que todos os passageiros foram colocados deitados, de barriga para baixo, revistados e perderam tudo que tinham de valor. Um dos passageiros, que ele não soube identificar, teve um prejuízo de aproximadamente R$ 400,0

Por | Edição do dia 26/01/2005 - Matéria atualizada em 26/01/2005 às 00h00

O encanador Antônio de Araújo afirmou que todos os passageiros foram colocados deitados, de barriga para baixo, revistados e perderam tudo que tinham de valor. Um dos passageiros, que ele não soube identificar, teve um prejuízo de aproximadamente R$ 400,00. A violência e a agressividade assustaram os passageiros. No entanto, foi a frieza dos assaltantes que mais chamou a atenção das vítimas. Os passageiros asseguram que foi por vingança que um dos bandidos se aproximou de José Roberto, quando ele estava deitado no chão. Disse alguns palavrões e fez vários disparos. “Ele morreu na hora”, garantiu o motorista Ronaldo de Oliveira. O chefe de Operações da Delegacia de Rio Largo, Marcos Bartolomeu, que comanda as diligências para identificar e prender os assaltantes, pretende ouvir todos os passageiros da Sprinter, além do motorista e do cobrador da van. O objetivo da polícia é descobrir onde eles apanharam o veículo e se algum percebeu qual era o carro de apoio. “Pelo que eles fizeram, o grupo tinha um apoio, pois assim que ‘limparam’ os passageiros, eles furaram os pneus da Sprinter a bala”, declarou o policial. Outro ponto que o chefe de Operações tenta descobrir é se José Roberto morreu porque reagiu ao assalto e tentou virar o carro na estrada ou se eles forjaram o assalto para poder assassiná-lo. “Em princípio, o que aconteceu foi um latrocínio [assalto seguido de morte]. Mas nenhuma hipótese pode ser descartada pela polícia”, acrescentou Marcos Bartolomeu. O motorista Ronaldo de Oliveira deve prestar depoimento hoje na Delegacia de Rio Largo. Duas vítimas foram notificadas a depor, além de parentes do motorista da Usina Utinga Leão. O medo tomou conta dos usuários de transportes complementares: foi o segundo caso de assalto com vítima, nos últimos três meses, na Região Metropolitana de Maceió. Outros quatro assaltos ocorreram, desde novembro do ano passado, tendo como vítimas passageiros de transportes alternativos. Os assaltos foram registrados na rodovia BR-316, entre Pilar e Atalaia, no Povoado de Olho D’Água, em Capela. (EF)

Mais matérias
desta edição