app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Cidades

Pacientes dormem em fila para ter cart�o do SUS

DORGIVAL JÚNIOR As filas continuam infernizando a vida de pacientes que não receberam os cartões do Sistema Único de Saúde (SUS). Os usuários denunciam que precisam madrugar em postos de saúde, como o PAM Salgadinho, para conseguirem ser atendidas. O exe

Por | Edição do dia 26/01/2005 - Matéria atualizada em 26/01/2005 às 00h00

DORGIVAL JÚNIOR As filas continuam infernizando a vida de pacientes que não receberam os cartões do Sistema Único de Saúde (SUS). Os usuários denunciam que precisam madrugar em postos de saúde, como o PAM Salgadinho, para conseguirem ser atendidas. O exemplo da dona de casa Amara dos Santos, que chegou às 19 horas de segunda-feira no posto, retrata o drama da população carente na luta pelo atendimento médico. Moradora do bairro da Chã da Jaqueira, ela conta que há mais de três anos fez o cadastro para o cartão SUS. Só que até hoje não recebeu o documento. “A gente tem que vir aqui porque já tem casos de pessoas que foram recusadas nos hospitais porque estavam sem o cartão”. Outro exemplo é de Maria Cícera da Silva, que chegou ao PAM Salgadinho às três horas da madrugada de ontem. Às 9 horas da manhã, ela ainda aguardava para ser atendida no setor de cadastro do Cartão SUS. “Em todo posto de saúde é assim. A gente tem que dormir na porta do posto para conseguir ficha”, reclamava. Como está sem o cartão SUS, ela disse que enfrenta dificuldades para marcar as consultas. Iracy Matias dos Santos também espera há três anos pela chegada do Cartão SUS. Ela disse que os médicos se recusam a fazer as consultas porque ela não tem o cartão. Como ela e o marido usam remédios controlados, ela não pode adquiri-los sem o receituário do médico. Problemas O secretário municipal de Saúde, João Macário, informou que as pessoas que deixaram de receber o cartão SUS – entregue em casa – devem ter apresentado algum tipo de problema no sistema de processamento de dados do cadastro. “Um dos exemplos é quando duas pessoas apresentam o mesmo nome. Isso acaba suspendendo a liberação do cartão”, disse o secretário. Segundo ele, no município de Maceió já foram cadastradas mais de 639 mil pessoas, o que corresponde a 75% da população. Ele disse ainda que o número de atendentes que trabalham no cadastro do cartão do SUS, no PAM Salgadinho, será ampliado de dois para seis funcionários. “Chegamos fazer mais de 20 atendimentos por dia. Há muitos casos de pessoas que vêm de outros municípios para fazer o cadastro, o que não é permitido. Os usuários devem procurar a unidade de saúde das cidades onde moram”, disse o secretário. “Em Maceió, os cartões do SUS já foram entregues a mais de 74 mil usuários do sistema. E já estão prontos para ser entregues pouco mais de 40 mil cartões”, acrescentou João Macário. Ele esclareceu que as pessoas cadastradas, e que não receberam o cartão, não precisam se preocupar, pois o número delas já se encontra no sistema e elas podem receber atendimento médico. “O cartão só está sendo necessário para procedimentos médicos de alta complexidade, como radioterapia, medicamentos excepcionais – onde estão cadastradas mais de 4.500 pacientes. Para consultas e exames simples, ele ainda não está sendo obrigatório”, acrescentou o secretário. Macário informou que o cartão também pode ser feito nas unidades de saúde cadastradas no SUS (para as pessoas que precisam do serviço médico e não estão cadastradas no sistema), além do JÁ Mangabeiras e no PAM Salgadinho. Mais informações sobre o cartão SUS podem ser buscadas pelos telefones 315-5410/3909 e 315-5317.

Mais matérias
desta edição