app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Cidades

Toda a diretoria � presa

A Operação Predador mobilizou um contingente de 90 policiais federais e cumpriu 19 mandados de prisão, além de outros 20 mandados de busca e apreensão. Também foi presa a esposa de Gilberto Linhares, Hortência Linhares – ela é presidente do Conselho Regio

Por | Edição do dia 29/01/2005 - Matéria atualizada em 29/01/2005 às 00h00

A Operação Predador mobilizou um contingente de 90 policiais federais e cumpriu 19 mandados de prisão, além de outros 20 mandados de busca e apreensão. Também foi presa a esposa de Gilberto Linhares, Hortência Linhares – ela é presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe, e estava em São Paulo quando recebeu voz de prisão da Polícia Federal. Foram presos, ainda, o presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Goiás, Nelson Parreira, além de Iva Maria Barros, ex-presidente do Conselho Federal de Enfermagem, e mais nove pessoas, entre funcionários do Conselho Federal e sócios de empresas acusadas de emitir notas fiscais frias. O vice-presidente do Conselho Federal de Enfermagem, João Aureliano, foi preso, em Natal (RN), pela PF. A quadrilha, acusada de desviar o dinheiro procedente dos Conselhos Regionais de Enfermagem, está sendo acusada pela Polícia Federal de peculato, formação de quadrilha, fraude em licitações, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Há informações de que a quadrilha teria gasto com passagens aéreas, em uma única empresa, durante cinco anos, R$ 6 milhões. O comando da operação da PF informou também que o principal acusado, Gilberto Linhares, usava cheques da entidade para pagamento de contas que não eram do Conselho. A PF informou que a prisão dos acusados foi executada com base nas investigações policiais de um inquérito instaurado em 1998, na Delegacia Fazendária, onde foram investigadas irregularidades supostamente praticadas no Conselho Federal de Enfermagem. O delegado da PF que coordena a operação, José Mariano, afirmou que as investigações concluíram que o patrimônio de Gilberto Linhares é incompatível com os rendimentos dele.

Mais matérias
desta edição