app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Cidades

Ufal ter� que afastar todos os irregulares

O procurador-regional do Trabalho, Alpiniano Prado, explicou, ontem, que a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e o Hospital Universitário também têm até o dia 14 de março de 2003 para demitir todos os trabalhadores irregulares e contratar servidores po

Por | Edição do dia 26/04/2002 - Matéria atualizada em 26/04/2002 às 00h00

O procurador-regional do Trabalho, Alpiniano Prado, explicou, ontem, que a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e o Hospital Universitário também têm até o dia 14 de março de 2003 para demitir todos os trabalhadores irregulares e contratar servidores por meio de concurso público. Ele declarou ainda que não haverá prorrogação no prazo para regularização, mesmo que isso prejudique os estudantes. “Não podemos permitir que a Constituição Federal seja pisoteada, aceitando que irregulares ocupem o lugar de concursados”, frisou Alpiniano, esclarecendo que já existem pessoas aprovadas em concurso realizado pela Ufal em 1999 aguardando apenas a nomeação para ocupar os cargos. Segundo o procurador, os trabalhadores irregulares estão sendo contratados pela Fundação Universitária de Desenvolvimento e Extensão a Pesquisa (Fundepes), que não foi criada para realizar essa função. Alpiniano Prado apresentou um acordo firmado entre Ufal e a procuradoria no início do ano que estabelece uma multa de R$ 1 mil para cada trabalhador que continuar no cargo após o dia 14 de março de 2003. “A responsabilidade de fazer cumprir a Constituição Federal é do Ministério Público, mas as conseqüências devem ser atribuídas aos que descumprem o que está previsto na lei”, ressaltou. O procurador informou que haverá uma reunião entre ele, o reitor da Ufal, Rogério Pinheiro, e o diretor do HU, João Macário, segunda-feira, às nove horas, na sede da procuradoria.

Mais matérias
desta edição