app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5754
Cidades

CB evita que gar�om se jogue da ponte no Reginaldo e alerta para suic�dios

Um levantamento realizado pelo Corpo de Bombeiros (CB) constatou que 74 pessoas ameaçaram pular da ponte sobre o vale do Reginaldo, que liga o bairro do Farol ao Feitosa, em 2004. Deste total, a corporação informou a ocorrência de duas vítimas fatais. Es

Por | Edição do dia 03/02/2005 - Matéria atualizada em 03/02/2005 às 00h00

Um levantamento realizado pelo Corpo de Bombeiros (CB) constatou que 74 pessoas ameaçaram pular da ponte sobre o vale do Reginaldo, que liga o bairro do Farol ao Feitosa, em 2004. Deste total, a corporação informou a ocorrência de duas vítimas fatais. Este ano, a primeira ocorrência foi registrada ontem à tarde, quando o garçom Mário Jorge da Silva ameaçou pular da ponte, que tem 42 metros de altura, após uma briga com a esposa, Luciene da Silva. O resgate de Mário Jorge mobilizou 12 soldados do Corpo de Bombeiros, que tentavam convencer o garçom a não pular. Mário Jorge, que permaneceu por mais de duas horas segurado apenas em um poste de iluminação que fica do lado de fora do muro de proteção da ponte, foi resgatado pelos soldados do CB no momento em que ameaçou pular. “Agimos em questão de segundos. Quando ele viu a esposa se aproximar, distraiu-se e nós conseguimos segurá-lo. Ações desse tipo levam a um desgaste muito grande tanto para a vítima quanto para as equipes de salvamento”, disse o capitão CB Carlos Burity, que comandou as negociações para que Mário Jorge não cometesse o suicídio. A mobilização para evitar que o garçom pulasse acabou gerando um longo congestionamento nos dois lados da ponte. Após ter sido mobilizado, Mário Jorge foi levado numa unidade de resgate do Corpo de Bombeiros para o Hospital Portugal Ramalho, onde recebeu atendimento médico. “As autoridades precisam fazer algo para evitar que mais pessoas tentem cometer suicídio nesta ponte. É necessário que seja instalada uma grade de proteção que impeça o acesso dos transeuntes à parte externa”, disse o capitão Carlos Burity. (DJ)

Mais matérias
desta edição