app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Cidades

Como deixar a casa segura durante o carnaval

EDNELSON FEITOSA FÁTIMA ALMEIDA Carnaval é tempo de dar uma esticada onde estão os templos da folia, seja em Olinda, Recife, Salvador, Rio de Janeiro, ou perto de Maceió, nas cidades balneárias. Mas aí surge um problema: o que fazer para deixar a casa s

Por | Edição do dia 06/02/2005 - Matéria atualizada em 06/02/2005 às 00h00

EDNELSON FEITOSA FÁTIMA ALMEIDA Carnaval é tempo de dar uma esticada onde estão os templos da folia, seja em Olinda, Recife, Salvador, Rio de Janeiro, ou perto de Maceió, nas cidades balneárias. Mas aí surge um problema: o que fazer para deixar a casa segura? E evitar aquele momento doloroso, de na volta ver tudo revirado e os objetos roubados. O delegado de Roubos e Furtos de Maceió, Cícero Lima, destacou uma série de dicas para evitar surpresas desagradáveis ao retornar do carnaval, fato que leva uma verdadeira romaria de vítimas de arrombamentos em residência à Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) na Quarta-Feira de Cinzas. Nesses casos, como os bandidos dispõem de muito tempo para cometer o furto, os prejuízos são sempre significativos. Segundo o delegado, sistema de alarme é sempre eficaz. Principalmente, quando é mantido por empresas de vigilância eletrônica, responsáveis por qualquer dano que venha a ser praticado por marginais. A vantagem maior é que não é preciso recorrer à polícia no caso de o alarme disparar, pois a própria empresa se encarrega de saber o que está havendo no local. Cerca elétrica A cerca elétrica é a febre do momento, na corrida das pessoas em busca de um tipo de segurança que possa funcionar, é de longe a mais procurada. “É nesse período de festas que as pessoas mais procuram proteger seus imóveis, principalmente porque costumam viajar e deixar a casa sozinha. Depois do Natal e ano-novo vem o carnaval, outra festa em que as pessoas gostam de deixar a cidade. Então, a solução mais segura é esse tipo de sistema de cerca elétrica”, informou a assistente de vendas de uma loja especializada, Juliana Inácio. As cercas elétricas instaladas pelas lojas especializadas não matam a pessoa, apenas provocam um choque e a jogam a uma certa distância. Elas têm 8 mil volts e são pulsativas, ou seja, a cada meio segundo emitem um pulso de choque e não oferecem risco de morte a quem tentar tocá-la. Luz acesa Não deixar a luz acesa durante o dia. No entender do delegado Cícero Lima, pode ter um efeito contrário, visto que o delinqüente percebe que aquela luz está acesa dia e noite, um reflexo claro de que não há ninguém em casa. No passado, as pessoas acreditavam que deixando a luz acesa evitaria o arrombamento da residência. Um bom cão de guarda sempre afasta intrusos. Hoje em dia existem empresas que alugam cães para quem não tem condições de, por algum motivo, ter o seu próprio cão. É procurar um canil idôneo e sair tranqüilo para curtir o carnaval. Gente em casa O delegado Cícero Lima é daqueles policiais que defendem que é sempre bom deixar um morador em casa. Nunca sair todo mundo, faz parte de uma estratégia boa e barata. Só que alguém precisa ir para o sacrifício e perder o carnaval. No entanto, quem fica precisa adotar cuidados especiais. Por exemplo, atender à porta após identificação prévia. “Manter a porta da garagem sempre fechada. Aguardar o fechamento de portões de comando eletrônico e não aceitar a entrada de técnicos não solicitados”, frisou ele.

Mais matérias
desta edição