app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Cidades

Igreja lan�a campanha pela solidariedade e paz

CARLA SERQUEIRA “Solidariedade e Paz”. Este é o tema da Campanha da Fraternidade deste ano, lançada ontem em todo o Brasil. A campanha é promovida pela Igreja Católica, através da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A Campanha da Fraternid

Por | Edição do dia 10/02/2005 - Matéria atualizada em 10/02/2005 às 00h00

CARLA SERQUEIRA “Solidariedade e Paz”. Este é o tema da Campanha da Fraternidade deste ano, lançada ontem em todo o Brasil. A campanha é promovida pela Igreja Católica, através da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A Campanha da Fraternidade, pela segunda vez, tem caráter ecumênico e conta com a participação de todas as igrejas cristãs. A iniciativa de transformar a campanha em um ato ecumênico partiu do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), criado há mais de 20 anos. “Embora a Igreja Católica tenha sido a fundadora da campanha, agora ela quer expandi-la para que nossos irmãos de outras igrejas trabalhem também pela causa”, disse o arcebispo metropolitano de Maceió, dom José Carlos Melo. CNBB Para o secretário-geral da CNBB, dom Odilo Pedro Scherer, a campanha “não é uma ação sobre o ecumenismo, como poderia parecer, mas uma união ecumênica de esforços em prol da superação da violência e da construção da paz”. Com o lema “Felizes os que promovem a paz”, a Igreja Católica comemora o 40º aniversário da Campanha, que começou no ano de 1965 com o tema “Faça da sua paróquia uma comunidade de fé”. Nesta época, o enfoque maior era dado para a vida interna das igrejas católicas. O tema A escolha do tema de cada Campanha da Fraternidade se dá logo após o lançamento da anterior. “Já estamos trabalhando na escolha do tema para a campanha de 2006”, disse o arcebispo de Maceió, que explicou ser uma equipe de teólogos e sociólogos, em Brasília, que sugere a temática, de acordo com a realidade brasileira. Os principais aspectos que inspiraram o tema deste ano para a Campanha da Fraternidade foram a violência, a solidariedade e a paz. Violência em casa “A violência em nosso país está adquirindo cada vez mais espaço. Até na família a violência é presente. Nos mesmos lugares em que a violência impera, a paz pode ser desenvolvida, então vamos tentar levar a campanha para dentro de casa”, sugeriu dom José Carlos Melo. “A paz é uma conquista e começa na família”. Em relação às ações práticas da Campanha da Fraternidade 2005, o arcebispo metropolitano de Maceió informou que cada paróquia é responsável pelo calendário da comunidade que assiste. “A campanha se dará nas bases, de acordo com a realidade de cada comunidade”. Quaresma Para os foliões, a Quarta-Feira de Cinzas é o dia da ressaca do carnaval. Para os fiéis, é o dia que marca o início da Quaresma. A passagem bíblica “Lembra-te de que és pó e ao pó voltarás”, explica o símbolo das cinzas. O ritual, onde os fiéis eram salpicados de cinzas no início da Quaresma, veio da Roma do século VIII. Hoje o ritual ainda é praticado pela Igreja Católica, que utiliza a cinza obtida da queima das palmas usadas no Domingo de Ramos do ano anterior para desenhar uma cruz na testa dos cristãos. A Quaresma é o tempo de conversão para que os cristãos possam se preparar para receber a Semana Santa, onde se comemora a ressurreição de Jesus Cristo. A Quaresma termina na quinta-feira da Paixão. “A Campanha da Fraternidade é lançada na Quarta-Feira de Cinzas, justamente pelo motivo da convenção. Com a Campanha, queremos catequizar e atrair para a igreja mais fiéis”, explicou dom José Carlos de Melo.

Mais matérias
desta edição