app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Cidades Participantes do Dia D tiveram ações de saúde, esportivas e apresentações musicais

PROJETO PRAIA ACESSÍVEL REÚNE CENTENAS DE PESSOAS EM MACEIÓ

Ação da prefeitura integra a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual ou Múltipla, que acontece até o dia 28

Por ROGÉRIO COSTA | Edição do dia 24/08/2023 - Matéria atualizada em 24/08/2023 às 04h00

Para marcar a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, a Prefeitura de Maceió promoveu, na manhã desta quarta-feira (23), na Praça Gerônimo Siqueira, na orla da Pajuçara, uma edição especial do projeto Praia Acessível.

O Dia D do projeto reuniu centenas de pessoas, não apenas celebrar as conquistas já alcançadas pelas pessoas com deficiência (PcD), mas para alertar sobre a existência das diversas barreiras enfrentadas na capital e em todo o estado.

Os mais de trezentos participantes se dividiram em grupos, prestigiando as ações de saúde, esportivas e apresentações musicais que movimentaram a orla. Os presentes e seus familiares fizeram aulas de alongamento, dança, prestigiaram apresentações musicais com DJ, a percussão do grupo de dança afro Afrolozzi, da Pestalozzi, além de uma série de atividades esportivas como o surfe terapia do grupo Onda Azul, que busca através do esporte, despertar a autoconfiança e inclusão das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Ainda teve um banho de mar assistido, atividade de ginástica funcional, futebol de areia, vôlei, boxe e judô adaptados.

Para o coordenador da ação, João Correia de Barros, o Dia D do projeto Praia Acessível oferece várias opções de lazer e diversão aos participantes durante a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual ou Múltipla.

“É um projeto que existe desde 2015. É um passo de cada vez, principalmente para quem tem deficiência. Não apenas o poder público tem a responsabilidade de fazer a inclusão, a sociedade também precisa entender a causa e assumir essa postura inclusiva”, ressaltou.

A programação elaborada pela Prefeitura de Maceió prossegue até o dia 28 de agosto, na Praça Jerônimo Siqueira, que dá nome e homenageia um dos maiores responsáveis pela busca de uma política definitiva de acessibilidade para as pessoas com deficiência no estado.

Todas as atividades inclusivas foram cuidadosamente planejadas com segurança, graças aos servidores e estagiários de Educação Física da Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer (Semtel) de Maceió, pasta que coordena o Praia Acessível. Durante toda a semana a equipe estará à disposição dos participantes oferecendo suporte e orientação.

Quem marcou presença no Dia D da pessoa com deficiência foi a paratleta Sônia Gouveia, que usa cadeira de rodas e é detentora de muitas vitórias e medalhas em competições esportivas nacionais e internacionais, elevando o nome dos atletas alagoanos, sobretudo no atletismo, com o lançamento de peso, dardo e disco, conquistando marcas importantes para o desporto brasileiro.

Sônia é precursora e incentivadora da participação das pessoas com deficiência no esporte. Sua história de vida inspira outros competidores.
“Através desses eventos as pessoas podem ver a capacidade de superação de quem enfrenta todo dia não apenas os olhares tortos, mas a falta de compreensão para a causa das pessoas com deficiência”, defende.

Exemplos de vencedores não faltam. Sônia Gouveia é um desses exemplos, com tantos anos no esporte, com vitórias importantes, medalhas conquistadas ao longo da sua trajetória esportiva, tendo representado o Brasil em várias competições, encarando atletas do mundo todo, ainda luta para continuar nas disputas da sua modalidade.
“Não é a deficiência que vai te limitar. Basta o indivíduo descobrir quais são as suas próprias limitações, aprender onde ele pode superar todo o conformismo que algumas pessoas possuem e superar seus limites, vencer e crescer. Falar que o preconceito não existe, é hipocrisia. Por isso, o esporte é verdadeiramente transformador”,
A frase é de Antônio Tenório, o maior judoca paralímpico de todos os tempos, e foi usada por Sônia Gouveia para servir de inspiração aos jovens com deficiência no estado.
Tenório tem participações em seis edições de Jogos Paralímpicos, quatro medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze. Ele ainda não descarta a possibilidade da sua participação nos Jogos de Paris, em 2024. Ainda adolescente, ficou cego de um olho aos 13 anos e, seis anos depois, perdeu a outra visão.

Mais matérias
desta edição