app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Cidades

P�o pode ser vendido exclusivamente por quilo

A Associação dos Panificadores de Alagoas, juntamente com os panificadores de Maceió, defende que a comercialização de pães seja realizada exclusivamente por peso. A proposta, que está em tramitação na Câmara Municipal de Maceió, segundo o presidente da

Por | Edição do dia 04/05/2002 - Matéria atualizada em 04/05/2002 às 00h00

A Associação dos Panificadores de Alagoas, juntamente com os panificadores de Maceió, defende que a comercialização de pães seja realizada exclusivamente por peso. A proposta, que está em tramitação na Câmara Municipal de Maceió, segundo o presidente da Associação, Alfredo Dacal, tem como objetivo garantir a qualidade do produto ao consumidor alagoano. “Estamos com esperança de que essa proposta seja aprovada pela câmara, pois beneficia o consumidor”, frisou, acrescentando que a idéia já foi aprovada pelo vereador Arnaldo Fontan. Conforme Alfredo Dacal, a proposta foi criada, em nível nacional, pela Associação Brasileira de Indústria e Panificação. Ele acrescentou, ainda, que Estados como Pernambuco, Espírito Santo, São Paulo, Rio Grande do Norte e Minas Gerais já estão adotando a nova medida, que está trazendo bons resultados. “Os proprietários de panificações e os consumidores estão satisfeitos com a nova proposta”, garantiu. Na avaliação de Dacal, através da venda do pão pelo peso, o consumidor terá condições de saber se há massa suficiente no produto, sobretudo se tem qualidade. Ele explicou que há muitos comerciantes, inclusive os que vendem o produto em suas próprias residências, ou nas portas das casas, que costumam colocar vários aditivos, como fermento, em grande quantidade no pão, ou então enchê-los de ar, com o objetivo de enganar o consumidor. “Queremos combater essa prática irregular que somente engana o consumidor”, frisou. Alfredo Dacal não acredita que a mudança na maneira de comercializar o pão vá acarretar em queda nas vendas, nem qualquer tipo de prejuízo para o consumidor, que precisa, no entanto, ficar atento em relação às balanças utilizadas nos balcões para pesar o produto.

Mais matérias
desta edição