app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

Professores do Estado amea�am paralisar em dias alternados

Os professores da rede estadual de ensino fizeram, ontem, uma greve de advertência para cobrar do governo uma definição sobre o reajuste salarial da categoria que tem data-base em maio. A greve foi marcada por uma concentração em frente à Secretaria d

Por | Edição do dia 09/05/2002 - Matéria atualizada em 09/05/2002 às 00h00

Os professores da rede estadual de ensino fizeram, ontem, uma greve de advertência para cobrar do governo uma definição sobre o reajuste salarial da categoria que tem data-base em maio. A greve foi marcada por uma concentração em frente à Secretaria de Educação, reunindo professores e estudantes. A maior parte das escolas da Capital parou por causa do movimento. A secretária jurídica do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Alagoas (Sinteal), Josefa da Conceição, informou que já ficaram definidas em assembléias realizadas com a categoria que novas paralisações, em dias alternados, poderão acontecer caso o governador Ronaldo Lessa não atenda a pauta de reivindicações da categoria. A pauta contém 17 itens, sendo que a principal é o reajuste salarial de 14,92%, correspondente às perdas dos últimos 12 meses. Os professores cobram também o pagamento dos 16% dos salários atrasados, deixados pelo governo passado. Segundo Josefa, desde o ano passado. “O último contato que tivemos com o governo foi no dia 30 de outubro de 2001 e até hoje não tivemos mais resposta para manter essa audiência com o governador”, comentou Josefa. A diretora do Sinteal denunciou ainda que várias escolas continuam com carência de professores. “Muitas foram reformadas e foram implantados laboratórios de informática, mas não existem professores capacitados para ensinar os alunos”, frisou, afirmando que faltam também professores na área de Educação Física.

Mais matérias
desta edição