app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Cidades

Museu do Velho Chico tem R$ 1,5 milh�o

| DA EDITORIA DE CIDADES O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apoiará, com R$ 1,58 milhão, a instalação do Museu do Rio São Francisco, em Penedo. O apoio se dará no âmbito do novo Programa de Patrocínio à Preservação do Patrimôn

Por | Edição do dia 25/12/2005 - Matéria atualizada em 25/12/2005 às 00h00

| DA EDITORIA DE CIDADES O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apoiará, com R$ 1,58 milhão, a instalação do Museu do Rio São Francisco, em Penedo. O apoio se dará no âmbito do novo Programa de Patrocínio à Preservação do Patrimônio Histórico Brasileiro, anunciado na quinta-feira, 22, pelo presidente do BNDES, Guido Mantega, em solenidade realizada na sede do Banco, no Rio de Janeiro, e que contou com a presença do ministro da Cultura, Gilberto Gil. Relacionado ao amplo programa de revitalização do Rio São Francisco, o projeto do museu prevê espaço expositivo voltado para o patrimônio cultural e ambiental das margens do rio; centro de referência, que sediará uma biblioteca especializada e uma central de documentação; e sinalização das principais atrações ao longo do rio. O programa de patrocínio anunciado busca a associação entre preservação do patrimônio histórico e desenvolvimento local. O BNDES também apoiará projetos relacionados a programas de revitalização - urbana, turística, econômica - que abram novas oportunidades às cidades históricas brasileiras e resultem em benefícios efetivos à população. Exigências Entre as novas exigências para a seleção de projetos estão a apresentação de planos de uso público e de sustentabilidade, que garantam a manutenção e as atividades dos bens tombados. O BNDES entende que é preciso restituir aos monumentos sua função social, reintegrá-los à vida da cidade, para que sua revitalização seja permanente. O reconhecimento da importância da revitalização do patrimônio histórico para o desenvolvimento turístico, cultural, educacional e econômico das cidades levou a diretoria do BNDES a dobrar os recursos para apoio a projetos nessa área, que passaram de R$ 10 milhões, em 2004, para R$ 20 milhões já a partir de 2005. Além do patrocínio à restauração, o novo programa inclui o apoio à modernização e à equipagem de instalações para abrigar atividades públicas e melhorias nas áreas de entorno para que os projetos tenham maior impacto positivo nas cidades. Outra novidade do programa é a escolha de três cidades-pólo a cada biênio, que concentrarão a maior parte dos projetos.

Mais matérias
desta edição