app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Cidades

Falta de manuten��o estoura esgotos

| FERNANDO VINÍCIUS Repórter Maragogi - O entupimento dos canos tem provocado o estouro de esgoto nas ruas da parte baixa de Maragogi. O problema, causado pela falta de manutenção da rede de esgotamento sanitário, atingiu, desta vez, os moradores da Ru

Por | Edição do dia 30/12/2005 - Matéria atualizada em 30/12/2005 às 00h00

| FERNANDO VINÍCIUS Repórter Maragogi - O entupimento dos canos tem provocado o estouro de esgoto nas ruas da parte baixa de Maragogi. O problema, causado pela falta de manutenção da rede de esgotamento sanitário, atingiu, desta vez, os moradores da Rua João Paulo da Silva, centro da cidade. Além do incômodo provocado pelo mau cheiro, o risco de doenças preocupa as famílias. Obra já concluída pela empresa Santa Bárbara e alvo de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em junho deste ano, o sistema de tratamento de esgotos domiciliares já deveria estar sob os cuidados da Companhia de Saneamento e Abastecimento d’Água de Alagoas (Casal). O ofício relacionando os membros da comissão composta por técnicos da empresa para receber as obras chegou somente ontem à Prefeitura de Maragogi. Também ontem a Casal informou, por meio de sua assessoria de comunicação, que o relatório só não foi entregue ao Ministério Público por causa do recesso do Judiciário. Como a Santa Bárbara já terminou os serviços e não tem responsabilidade pela manutenção da obra concluída, a demora da Casal para assumir a operação está causando problemas à rede. Relatório apresentado pela empreiteira durante reunião realizada em novembro na sede do Ministério Público Estadual (MPE) em Maragogi relata casos de depredação à estrutura instalada. A formalização da entrega da obra pela Santa Bárbara à Casal foi acertada na ocasião, ficando a companhia comprometida em formar a comissão responsável pela obra. Diante dos problemas causados à população, o prefeito de Maragogi, Marcos Madeira (PTB), acionou a Procuradoria Municipal para exigir o cumprimento do TAC. “Como a operação do sistema ainda não foi entregue à Casal, a ligação do esgoto de cerca de 400 casas de famílias carentes para a rede coletora ainda não está sendo feita”, comentou Madeira.

Mais matérias
desta edição