app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5732
Cidades

Encosta sem prote��o amea�a morador

| MARCOS RODRIGUES Repórter A vida no bairro do Mutange, na Travessa Delmiro Gouveia, se tornou uma aventura perigosa. Se equilibrar em pontes improvisadas com madeira e degraus encravados no barro não é tarefa fácil. Crianças e idosos trazem marcas de

Por | Edição do dia 05/01/2006 - Matéria atualizada em 05/01/2006 às 00h00

| MARCOS RODRIGUES Repórter A vida no bairro do Mutange, na Travessa Delmiro Gouveia, se tornou uma aventura perigosa. Se equilibrar em pontes improvisadas com madeira e degraus encravados no barro não é tarefa fácil. Crianças e idosos trazem marcas de quedas nas canaletas de escoamento de esgoto, que já chegaram até a matar. Foi o que aconteceu em 2003 com o jovem Fabiano Vieira Herculano, 21. Ele caiu de uma altura de 2,5 m e quebrou a coluna cervical. Socorrido, não resistiu aos ferimentos. “Desde que isso aconteceu, mais pessoas já caíram. Mas nada foi feito”, lamenta sua mãe, a dona-de-casa Francisca Vieira da Silva, 42, denunciando o abandono do bairro. Recente Como o poder público não age são os próprios moradores que trabalham. A sucessão de improvisos criou um labirinto que confunde crianças e idosos. O pequeno Douglas Gomes da Silva, 9, é a vítima mais recente. Há vinte dias ele machucou o olho direito ao cair na canaleta. O presidente da associação dos moradores, Arnaldo Manoel disse que o problema se intensificou nos últimos três anos. “A gestão passada iniciou a obra de construção das canaletas, mas não concluiu. O resultado é que a cada chuva o problema se agrava por causa do lixo e do volume de água”, disse Arnaldo. O temor aumenta no período do inverno. Tudo porque uma das casas do bairro ameça desabar. Desconforto O desconforto dos moradores do Mutange também envolve o lixo. É que os dejetos lançados na canaleta para receber esgoto doméstico se acumulam. O resultado é água parada e a proliferação de mosquitos. “Outro dia, meu neto me fez uma pergunta e não respondi para o mosquito não entrar na minha boca. A gente só assiste televisão com mosquiteiro”, revela a aposentada Josefa Maria da Conceição Gomes, 70. A Superintendência Municipal de Urbanismo (Somurb), já sabe dos problemas. Segundo o superintendente Mozar Amaral, a prefeitura vai realizar as obras necessárias. “Estamos aguardando a liberação dos recursos, que deve acontecer a partir do dia 20”, assumiu Amaral, por telefone.

Mais matérias
desta edição