app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5733
Cidades

Ponte n�o ag�enta caminh�o e cede

Moradores de três casas da Rua Manoel Viana, no Jacintinho, precisaram abandonar suas residências às pressas, na manhã de ontem, quando um caminhão transportador de lixo (placa JQZ 1387) de 14 toneladas tentou atravessar uma ponte improvisada e a estrutur

Por | Edição do dia 05/01/2006 - Matéria atualizada em 05/01/2006 às 00h00

Moradores de três casas da Rua Manoel Viana, no Jacintinho, precisaram abandonar suas residências às pressas, na manhã de ontem, quando um caminhão transportador de lixo (placa JQZ 1387) de 14 toneladas tentou atravessar uma ponte improvisada e a estrutura cedeu. O veículo ameaçava cair sobre os imóveis, localizados numa ribanceira. Foi preciso convocar funcionários da Defesa Civil para resolver o problema. Representantes da comunidade admitiram que construíram a ponte sem o acompanhamento de um engenheiro ou de representante capacitado de um órgão público municipal. “Recebemos o material de um político na última campanha eleitoral e fizemos o que era preciso para que os carros pudessem passar”, disse o desempregado José Cícero. O que eles não imaginavam era que a estrutura da ponte não iria suportar o peso de um caminhão e que uma pequena falha poderia resultar em tragédia. O motorista da empresa Viva Ambiental, Antônio Amâncio, 55, desconhecia que debaixo daquela estrada de barro, além de vergalhões e concreto, havia um buraco de quase dois metros. Ele estava substituindo o motorista da área, que foi ao médico. “Quando o caminhão cedeu eu pensei que fosse uma fossa, mas os garis gritaram para parar e não tentar sair, porque tudo poderia desabar”, contou ele, dizendo que não se assustou quando os pneus traseiros cederam, “o susto ocorreu quando vi o tamanho do problema”. A CASA TREMEU O comerciário Antônio Amâncio, 55, tomou um susto. “Eu estava com minhas duas filhas, meus genros e minhas netas quando ouvi o barulho e senti a casa tremer. Pensei que estava desabando”, afirmou ele. Por pouco o carro da família, que estava na porta, não foi atingido pelo caminhão. Diante do perigo, Maria Alexandra, 30, saiu correndo de casa. Ela pensou que o caminhão ia cair sobre sua casa. O representante da Defesa Civil Adriano Augusto determinou que as casas ameaçadas fossem abandonadas e isolou a área. Ele informou que a Somurb vai fazer uma avaliação da estrutura da ponte, mas constatou que não há sustentação. “Era preciso um muro de arrimo e eles não colocaram concreto”, explicou ele. Após quatro horas de avaliação de técnicos da Defesa Civil, um trator da Prefeitura de Maceió retirou o caminhão do local. A ponte ficará interditada para veículos pesados. |EF

Mais matérias
desta edição