app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Cidades

Obras acabam em abril, se chuva n�o chegar

| FÁBIA ASSUMPÇÃO Repórter As obras da passagem de nível entre as ruas Antônio Brandão e Comendador Palmeira, no Farol, deverão ser concluídas até abril. Mas tudo vai depender das condições do tempo. O engenheiro fiscal da Superintendência Municipal de

Por | Edição do dia 12/01/2006 - Matéria atualizada em 12/01/2006 às 00h00

| FÁBIA ASSUMPÇÃO Repórter As obras da passagem de nível entre as ruas Antônio Brandão e Comendador Palmeira, no Farol, deverão ser concluídas até abril. Mas tudo vai depender das condições do tempo. O engenheiro fiscal da Superintendência Municipal de Obras e Urbanização (Somurb), Alcides Tenório, explicou que, por enquanto, o cronograma está sendo cumprido. A preocupação é com a previsão de ocorrências de chuva forte nos próximos dias. “Uma obra como essa não pode ser feita com chuva. Se chover, a obra tem de parar”, explicou. Iniciada em outubro, a construção da passagem de nível se encontra em fase de escavação, mas também já começou a ser feita a concretagem das alças de contenção dos taludes. A passagem de nível tem uma profundidade de cinco metros em relação à pista da Comendador Palmeira. O engenheiro Alcides Tenório explica que quando essa primeira etapa da obra estiver pronta, vai haver modidificações no trânsito. O sentido da Rua Comendador Palmeira vai passar a ser Farol/Centro. Já quem vier pela Ladeira do Brito em direção ao Farol vai passar por baixo da passagem de nível para pegar a Avenida Antônio Brandão. Nessa primeira etapa da obra estão sendo investidos R$ 5 milhões com recursos próprios da prefeitura. A segunda etapa da obra compreende a construção de outra passagem de nível entre as avenidas Tomás Espíndola e Antônio Brandão. Os comerciantes da região continuam insatisfeitos com a obra. Eles reclamam de queda do movimento e de aumento do número de assaltos, desde que a Rua Antônio Brandão ficou isolada. A funcionária de uma lanchonete disse que a queda nas vendas provocou a demissão de dois funcionários. “Tínhamos quatro pessoas trabalhando aqui, hoje só temos duas”, disse sem querer informar o nome. Ela disse que a maioria das lojas da região já foi assaltada depois que as obras da passagem de nível foram ini- ciadas. De acordo com Tenório, apesar de ser responsabilidade do Estado garantir a segurança, medidas foram tomadas, como a colocação de guaritas com seguranças no canteiro de obras.

Mais matérias
desta edição