app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Cidades

Tropa alagoana come�a a ser treinada

GILVAN FERREIRA Repórter O comando do 59º Batalhão de Infantaria Motorizada (BIMtz) iniciou o treinamento dos militares alagoanos que vão reforçar a Missão de Paz no Haiti. Os militares alagoanos vão passar por cinco meses de treinamento em

Por | Edição do dia 18/01/2006 - Matéria atualizada em 18/01/2006 às 00h00

GILVAN FERREIRA Repórter O comando do 59º Batalhão de Infantaria Motorizada (BIMtz) iniciou o treinamento dos militares alagoanos que vão reforçar a Missão de Paz no Haiti. Os militares alagoanos vão passar por cinco meses de treinamento em Maceió, Recife e João Pessoa. Eles embarcarão para a primeira missão militar do 59º BIMtz nos meses de maio e junho. Segundo o comandante do 59º BIMtz, coronel Asdrubal Rocha Saraiva, vão ser selecionados 30 militares de Alagoas, que serão comandados por um oficial brasileiro. Eles serão responsáveis pelo controle da segurança da população do Haiti. “Os nossos soldados terão uma participação muito importante no Haiti. Eles vão garantir a segurança da população, das autoridades e das instalações militares. Vamos escolher entre os melhores soldados, incluindo os critérios do bom soldado, do bom militar, que tenha uma rotina normal de vida”, disse. A tropa alagoana será comandada pelo general José Elito Carvalho Serqueira, que substituirá o general Urano Bacellar, encontrado morto no hotel do comando das tropas da ONU em Porto Príncipe, capital do Haiti, no último dia 7. De acordo com o comandante do 59º BIMtz, os militares alagoanos vão passar seis meses no Haiti. O contingente de Alagoas, que vai se somar aos 1.200 soldados brasileiros no Haiti, será formado por um oficial, quatro sargentos e 25 soldados. Cada militar receberá entre US$ 970 (soldado) e US$ 2.700 (oficial). ETAPAS Segundo o comando do 59º BIMtz, o treinamento dos militares alagoanos será dividido em três fases, que inclui a fase de instrução preliminar, onde participarão de treinamento (adestramento), de tiros, instrução de primeiros-socorros, maneabilidade (treinamento específico para militares), medidas administrativas, preparação física e exames médicos e físicos. Já na segunda etapa, os militares receberão treinamento para combate em localidade e ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que inclui controle de distúrbios, escolta de autoridades e comboios, segurança em instalações militares, patrulhamento ostensivo, operações de busca e apreensão, postos de bloqueio e controle de estradas. A última etapa vai ser supervisionada pela ONU e inclui estágio de combatente de força de paz, estágio avançado de combatente e treinamento físico. Além de Alagoas, os estados de Pernambuco e da Paraíba também enviarão militares para a Força de Paz da ONU no Haiti.

Mais matérias
desta edição