app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Cidades

Governo vai demolir Sala dos Conselhos para fazer jardins

| CARLA SERQUEIRA Repórter Reformado há pouco mais de três anos, o Sala dos Conselhos do Palácio Floriano Peixoto, sede do governo Estadual, será demolido. Ontem, os móveis estavam sendo transportados para outros órgãos públicos. O local dará espaço par

Por | Edição do dia 21/01/2006 - Matéria atualizada em 21/01/2006 às 00h00

| CARLA SERQUEIRA Repórter Reformado há pouco mais de três anos, o Sala dos Conselhos do Palácio Floriano Peixoto, sede do governo Estadual, será demolido. Ontem, os móveis estavam sendo transportados para outros órgãos públicos. O local dará espaço para um jardim, dentro do projeto do Centro Administrativo do Governo, que tem inauguração prevista para a primeira quinzena do próximo mês. O jardim oficial vai se estender da Praça dos Martírios até a Rua Cincinato Pinto. Assessor direto do governo e coordenador da obra, o engenheiro civil Ricardo Vieira explicou que a idéia inicial era centralizar os serviços das secretarias estaduais num mesmo prédio, no bairro da Forene, e abrir o Palácio para visitação de estudantes e turistas. “Para facilitar o acesso da população, todas as secretarias iriam funcionar num mesmo local. Quando souberam do projeto, os comerciantes da região pediram para não tirar do Centro as secretarias de governo, então foi resolvido mantê-las no bairro e estender a reforma aos demais órgãos”, disse ele. Após a conclusão do Centro Administrativo do Governo, por trás do Palácio Floriano Peixoto, a segunda fase do projeto será iniciada. As reformas vão se estender para o quarteirão da Rua Cincinato Pinto, defronte da atual obra, onde funcionam hoje o Procon e a Secretaria Executiva de Planejamento. Novas desapropriações Orçado em R$ 6 milhões, o projeto de construção do Centro Administrativo do Governo desapropriou várias casas na região. “O governo conseguiu comprar muitas casas com preço razoável por causa da desvalorização da região”, explicou Ricardo Vieira, dizendo que já existe um decreto assinado para desapropriar as casas da Rua Cincinato Pinto. “No futuro, as obras devem avançar até o antigo prédio da Ceal, de esquina com a Rua Cincinato Pinto, próximo aos trilhos do trem”, adiantou o engenheiro. Além de local para visitação turística e escolar, o Palácio Floriano Peixoto, com sua mobília centenária, vai continuar com a residência oficial em funcionamento. “A parte da residência vai continuar sem mudanças, para que o governador [Ronaldo Lessa] realize as recepções oficiais, como reuniões com ministros e deputados, em jantares ou almoços”, explicou o engenheiro. Em fase de acabamento, o Centro Administrativo do Governo recebe agora vidros espelhados trazidos de São Paulo. “A obra vai valorizar a região, que é cercada por casas degradadas. O novo prédio terá um moderno auditório e amplas salas de reuniões”, disse Ricardo Vieira, afirmando que no Palácio, durante as visitações públicas, a história do prédio será mostrada por meio de um vídeo.

Mais matérias
desta edição