app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Cidades

Em Macei�, s� 21% fizeram cadastro

| FÁBIA ASSUMPÇÃO Repórter Mais de 20 mil famílias correm o risco de ter cancelado o cartão do Bolsa-Família em Maceió, caso não façam o recadastramento até o dia 28 de fevereiro. A coordenadora do Bolsa-Família, Lourdes Costa, disse que o prazo para

Por | Edição do dia 24/01/2006 - Matéria atualizada em 24/01/2006 às 00h00

| FÁBIA ASSUMPÇÃO Repórter Mais de 20 mil famílias correm o risco de ter cancelado o cartão do Bolsa-Família em Maceió, caso não façam o recadastramento até o dia 28 de fevereiro. A coordenadora do Bolsa-Família, Lourdes Costa, disse que o prazo para atualização dos dados de quem já é cadastrado no Bolsa-Família estava previsto para terminar em dezembro, mas foi estendido até 28 de fevereiro. números do ministério O problema pode se tornar muito maior, se forem levados em conta os números do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Na capital são 40.736 famílias cadastradas que precisam de recadastramento e mais 15.883 sem cadastro, as quais o ministério pretende levar o benefício. No total são mais de 68 mil que devem receber o Bolsa-Família, mas apenas 14,4 mil fizeram o novo cadastro, que significa um percentual de somente 21,07% oficialmente válido para o ministério. Retardatários Para atender os retardatários, o cadastramento será feito excepcionamente aos sábados, nas próximas quatro semanas, já que os últimos dias do prazo caem no carnaval. Ela disse que vem observando que muitas pessoas não estão indo fazer o recadastramento para tentar obter um novo cartão. “Muitas pessoas usam a desculpa de que vão cadastrar outro filho. Mas não adianta porque o cartão é da família”. NOVO ENDEREÇO NO POÇO Ela adverte que se a pessoa já cadastrada tentar fazer um novo cartão terá o benefício cancelado. Desde ontem até o dia 3 de fevereiro, a atualização de dados e o cadastro de novos beneficiários do programa está sendo feito na Escola Maria Carrascosa (antigo Crispiano Portal). Segundo Lourdes Costa, muitas pessoas não apresentam todos os documentos necessários: comprovante de residência, cartão Bolsa-Família, certidão de casamento, CPF, título de eleitor, carteira de trabalho, Carteira de Identidade. No caso dos filhos, a certidão de nascimento, cartão de vacina para crianças de 0 a 6 anos e declaração da escola para os de 7 a 15 anos. Para tentar conseguir o benefício, muitas pessoas continuam chegando de madrugada aos postos de atendimento da capital.

Mais matérias
desta edição