app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5736
Cidades

Almeida n�o quer novos problemas

| REGINA CARVALHO Repórter A idéia de empresários e moradores da Praia do Francês de se separar de Marechal Deodoro e virar distrito de Maceió, conforme matéria publicada no último domingo na Gazeta, não surtiu o efeito desejado. Procurado pela Gazeta

Por | Edição do dia 07/02/2006 - Matéria atualizada em 07/02/2006 às 00h00

| REGINA CARVALHO Repórter A idéia de empresários e moradores da Praia do Francês de se separar de Marechal Deodoro e virar distrito de Maceió, conforme matéria publicada no último domingo na Gazeta, não surtiu o efeito desejado. Procurado pela Gazeta para comentar a proposta, o prefeito Cícero Almeida mandou dizer, por meio de sua assessoria de comunicação, que a única preocupação da prefeitura no momento é com os problemas de Maceió. “O prefeito informou que prefere que os moradores da Praia do Francês se entendam com a prefeitura daquele município e encontrem uma alternativa. A prefeitura de Maceió não vai interferir nesse assunto”, disse o secretário de Comunicação, Marcelo Firmino. Para o secretário de Turismo de Maceió, Carlos Gatto, tecnicamente o desmembramento é bom, já que a Praia do Francês é uma grande atração turística. Ele diz que Maceió tem uma prefeitura mais estruturada e poderia dar uma assistência maior ao distrito. Entretanto, apesar de ser simpático à idéia, Carlos Gatto diz que o assunto é complexo, já que, politicamente, pode prejudicar a distribuição de renda e a geração de novos produtos. Reação Já a Prefeitura de Marechal Deodoro, alvo da denúncia da população, rechaça a idéia. “O prefeito vai se mobilizar para isso não acontecer. Seria uma grande perda para o município. A Praia do Francês está consolidada com Marechal”, avisa a secretária municipal de Turismo, Betânia Barros. A secretária reconhece que há problemas de ordem estruturante na Praia do Francês, diz que tenta resolvê-los na medida do possível, mas acredita que o descontentamento da população com a prefeitura, na verdade, passa mais por divergências políticas. “Acho difícil esse desmembramento acontecer. Acredito que essa denúncia seja de um grupo de pessoas direcionadas. Uma questão política”, reforçou a secretária. Segundo ela, 70% a 80% dos ambulantes que trabalham na Praia do Francês são de Marechal Deodoro. “Temos cerca de 460 deles cadastrados. Na alta temporada, esse número aumenta. O fato de eles serem de Marechal cria um problema social”, declarou Betânia Barros. Com relação ao excesso de lixo na praia, a secretária culpa donos de barracas e garçons e diz que a prefeitura está providenciando uma barreira de contenção e de um reservatório para resolver o problema de esgotamento sanitário que deságua no mar.

Mais matérias
desta edição