app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Cidades

Seguran�a considera carnaval tranq�ilo, apesar das mortes

| EDNELSON FEITOSA Repórter O secretário de Defesa Social, coronel Ronaldo dos Santos, considerou positivo o trabalho da polícia no Carnaval 2006. Ele destacou a tranqüilidade nos locais de maior concentração de foliões como Francês, Barra de São Miguel

Por | Edição do dia 03/03/2006 - Matéria atualizada em 03/03/2006 às 00h00

| EDNELSON FEITOSA Repórter O secretário de Defesa Social, coronel Ronaldo dos Santos, considerou positivo o trabalho da polícia no Carnaval 2006. Ele destacou a tranqüilidade nos locais de maior concentração de foliões como Francês, Barra de São Miguel e Paripueira, que receberam reforço no policiamento, e no setor penitenciário do Estado. O balanço do carnaval foi apresentado ontem pela cúpula da segurança pública em entrevista coletiva. De acordo com o diretor-geral da Polícia Civil, Robervaldo Davino, a redução do número de homicídios na capital chegou a 15%. Segundo Davino, a maioria dos assassinatos ocorridos nos últimos dias não estava relacionada à festa de momo. A Polícia Civil atuou em 51 casos de violência: 19 flagrantes, 31 termos circunstanciados de ocorrência e uma investigação social. De acordo com os dados oficiais da Secretaria de Defesa Social (SDS), ocorreram 33 homicídios, além de dois acidentes de trânsito. Foram registrados 74 casos de lesão corporal e outras três lesões por acidente de trânsito. Doze pessoas foram presas por porte ou posse de arma de fogo. Foram roubados 13 automóveis e furtados outros oito. As estatísticas revelaram ainda que ocorreram 79 casos de roubo e mais 65 furtos, casos registrados pela Polícia Civil. De acordo com o relatório da SDS, 23 celulares foram roubados, furtados ou extraviados, número insignificante se comparado às queixas de problemas semelhantes na maioria dos shows ocorridos em Maceió. As prisões e apreensões de entorpecentes foram reduzidas: 14 casos.

Mais matérias
desta edição