app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Cidades

Pr�dio do Detran pode ser usado para abrigar presos

| MARCOS RODRIGUES Repórter A construção de duas novas unidades prisionais para abrigar presos que lotam as delegacias da capital e do interior ainda é uma realidade distante. Nos últimos dois dias, o grupo formado pelo secretário de Defesa Social, cor

Por | Edição do dia 04/03/2006 - Matéria atualizada em 04/03/2006 às 00h00

| MARCOS RODRIGUES Repórter A construção de duas novas unidades prisionais para abrigar presos que lotam as delegacias da capital e do interior ainda é uma realidade distante. Nos últimos dois dias, o grupo formado pelo secretário de Defesa Social, coronel Ronaldo dos Santos, o diretor-geral da Polícia Civil, Robervaldo Davino, e o secretário de Ressocialização, coronel Aurélio Rozendo, realizou visitas aos presídios a fim de tentar uma solução caseira para o problema. “Não descartamos a possibilidade de alugar prédios para viabilizar a acomodação de presos de menor periculosidade. Uma outra saída que também está sendo analisada é utilizar uma das alas de uma das unidades prisionais para transformá-la num cadeião”, revelou o coronel Ronaldo. As medidas emergenciais começaram a ser analisadas depois que o juiz da Vara de Execuções Penais, Marcelo Tadeu, proibiu a transferência de presos que ainda não foram sentenciados para o presídio Baldomero Cavalcanti. A decisão do juiz piorou mais ainda a situação das delegacias especializadas que registram superlotação. Nestes locais, homens e mulheres vivem em condições subumanas, já que não dispõem, sequer, de acomodações nem de banheiros. SOB PRESSÃO Com a pressão feita por entidades de Direitos Humanos, a cúpula da SDS chegou a falar na construção de novas unidades prisionais. Mas, por causa da burocracia e do tempo para a realização das obras, ontem, o discurso mudou. A proposta mais real é a que envolve o deslocamento de reeducandos do regime semi-aberto, hoje no presídio Rubens Quintella, para o prédio onde funciona o Detran, no Pontal da Barra. Ao todo, 120 reeducandos seriam transferidos. Eles estão no fim da pena de reclusão e passam o dia soltos, somente retornando para o pernoite no presídio. Já o atual prédio que os presos em regime semi-aberto ocupam no sistema prisional seria utilizado para encarcerar os presos que têm prisão decretada pela polícia. No caso do interior, a solução seria a locação de imóveis para acabar com a superlotação. Segundo a SDS, os novos cadeiões seriam adaptados nas cidades de Delmiro Gouveia, Santana do Ipanema e Arapiraca.

Mais matérias
desta edição