app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Cidades

Minist�rio certifica AL por controle de doen�a

| DA REDAÇÃO O Ministério da Saúde concedeu a Alagoas o certificado de eliminação da hanseníase enquanto problema de saúde pública. Em 2005, o Estado registrou um coeficiente de prevalência da doença de 0,93 por 10 mil habitantes. A Organização Mundial

Por | Edição do dia 26/03/2006 - Matéria atualizada em 26/03/2006 às 00h00

| DA REDAÇÃO O Ministério da Saúde concedeu a Alagoas o certificado de eliminação da hanseníase enquanto problema de saúde pública. Em 2005, o Estado registrou um coeficiente de prevalência da doença de 0,93 por 10 mil habitantes. A Organização Mundial da Saúde considera a doença eliminada como problema de saúde pública quando a prevalência é de menos de um caso entre 10 mil pessoas. No cômputo geral, o Brasil apresenta um coeficiente de prevalência de 1,48/10.000 habitantes. A entrega do certificado foi conferida durante seminário nacional realizado em Brasília. Além de Alagoas, foram contemplados o Distrito Federal e mais seis estados brasileiros: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Norte. Durante a solenidade, o Ministério da Saúde fez entrega da V Carta de Eliminação da Hanseníase, documento que revela a situação epidemiológica da doença nos estados a partir de informações resumidas sobre a descentralização do diagnóstico e tratamento da doença, o quadro epidemiológico com dados de 2005 e seus respectivos coeficientes de prevalência. Segundo a secretária-executiva de Saúde, Katia Born, o alcance das metas programadas foi facilitado pela participação da LRA (The Leprosy Relief Associaton), ONG inglesa que apóia o projeto de eliminação da hanseníase em Alagoas, pela regularização dos estoques de medicamentos, o desempenho dos profissionais da Saúde e de um grupo tarefa contratado pelo Ministério da Saúde. A hanseníase é uma doença infecto-contagiosa, causada pelo micróbio chamado bacilo de Hansen que atinge pele e nervos periféricos e causa sérias incapacidades físicas, psíquicas e sociais, quanto mais tardio for seu diagnóstico e tratamento. É curável seja qual for a fase e a forma em que se apresentar.

Mais matérias
desta edição