app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Cidades

Zilda Arns vem a Macei� para encontro da Pastoral

A presença da presidente nacional da Pastoral da Criança, Zilda Arns, hoje, em Maceió, para participar do Encontro de Coordenadores, Diocesanos e Estaduais da Pastoral da Criança será um dos pontos principais do evento, que está sendo realizado desde o

Por | Edição do dia 23/05/2002 - Matéria atualizada em 23/05/2002 às 00h00

A presença da presidente nacional da Pastoral da Criança, Zilda Arns, hoje, em Maceió, para participar do Encontro de Coordenadores, Diocesanos e Estaduais da Pastoral da Criança será um dos pontos principais do evento, que está sendo realizado desde o último dia 20, no Hotel Verde Mar, na Pajuçara. O encontro reúne pessoas ligadas ao trabalho da Pastoral nos Estados de Alagoas, Pernambuco, Bahia e Sergipe, que formam as regiões I e II do Nordeste, e visa avaliar as ações desenvolvidas pela entidade, na região. Na palestra de ontem, o tema discutido foi a informatização do sistema de informações da entidade, ministrada pelo vice-coordenador nacional da entidade, Nelson Arns, filho de Zilda Arns. De acordo com o que foi discutido no encontro, os trabalhos realizados pela entidade têm obtido resultados altamente positivos, pois em Alagoas, por exemplo, a mortalidade infantil diminuiu significativamente, já que há apenas 10 mortes em cada mil crianças nascidas vivas, nas comunidades assistidas pela Pastoral, que atua em 62 municípios alagoanos. “De posse desses dados, avaliamos como positiva a atuação da Pastoral no Estado”, afirmou a médica responsável pela entidade em Alagoas, pediatra Ivone Azevedo. Segundo ela, apesar de a Pastoral da Criança atuar em 62 municípios, ela não cobre todas as comunidades, por causa da falta de voluntários. “É preciso que haja a disponibilidade de pessoas para exercer as atividades na Pastoral”, observou. Ela explicou ainda que o encontro tem o objetivo de promover a troca de experiências entre as coordenadorias dos Estados, com relação à visita domiciliar, aleitamento materno, projetos de geração de renda e ações básicas de educação, saúde e cidadania. “As atividades da Pastoral são voltadas para a família, pois ela é que tem de ser bem cuidada, sobretudo a gestante, para assim, podermos acabar com a mortalidade infantil, que é um processo cíclico. Por isso, os resultados obtidos são positivos”, avaliou.

Mais matérias
desta edição