app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Cidades

Caso Andresson

O desaparecimento do músico Andresson Silveira completou, ontem, nove anos, sem uma solução por parte da Justiça, que resolveu arquivar o processo criminal por falta de provas do suposto assassinato, já que o corpo do jovem – que teria 29 anos – não foi e

Por | Edição do dia 23/05/2002 - Matéria atualizada em 23/05/2002 às 00h00

O desaparecimento do músico Andresson Silveira completou, ontem, nove anos, sem uma solução por parte da Justiça, que resolveu arquivar o processo criminal por falta de provas do suposto assassinato, já que o corpo do jovem – que teria 29 anos – não foi encontrado. Para marcar a data, familiares liderados pela mãe do músico, Nara Cordeiro, voltaram ontem ao calçadão do comércio para uma manifestação “silenciosa”, já que ontem não houve panfletagem. “Espero um dia ter a graça de saber o que aconteceu realmente com o meu filho; acredito firmemente que tudo isso será esclarecido no tempo certo”, disse Nara. O desaparecimento do filho é lembrado todas às quintas-feiras pela família de Andresson, que desapareceu no dia 22 de maio de 93, após a família da namorada dele ter descoberto que ela estava grávida. Segundo Nara, até agora ela não recebeu nenhum informação oficial do arquivamento do processo por parte do Superior Tribunal de Justiça (STJ). “Fiquei sabendo dessa decisão apenas pela imprensa e vejo que a impunidade continua imperando no País”, disse, comentando que ontem foi um dia de tristeza, mas a família continua com a luta de descobrir o paradeiro de Andresson ou mesmo o corpo dele. “Também continuo aguardando um desfecho para esse caso; confio em Deus que isso vai acontecer algum dia”, afirmou. Segundo Nara, a luta da família conta com a solidariedade de muitas pessoas, que “nos dão força para continuar em frente. Essas mesmas pessoas sabem que não podem fazer nada para nos ajudar, mas demonstram que estão solidárias com a nossa causa”, concluiu.

Mais matérias
desta edição