app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

Peixe-boi na mira de ONG ambientalista

Severino Carvalho Repórter Porto de Pedras – Demitidos do Projeto Peixe-Boi, três ex-monitores se uniram e, com o incentivo de hoteleiros de Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres, municípios do Litoral Norte, fundaram, há dois meses, a Associaçã

Por | Edição do dia 03/12/2006 - Matéria atualizada em 03/12/2006 às 00h00

Severino Carvalho Repórter Porto de Pedras – Demitidos do Projeto Peixe-Boi, três ex-monitores se uniram e, com o incentivo de hoteleiros de Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres, municípios do Litoral Norte, fundaram, há dois meses, a Associação Amigos do Meio Ambiente da Costa dos Corais (AAMEA). A organização não-governamental combate crimes ambientais e atua na preservação da fauna e da flora, por meio de palestras educativas a estudantes e turistas. ### Turismo de observação respeita meio ambiente Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres – O ditado popular de que “todo começo é difícil” vale para a Associação Amigos do Meio Ambiente da Costa dos Corais” (AAMEA). A organização não-governamental, no entanto, vem ganhando corpo; hoje conta com 52 associados, entre pescadores, artesãos, comerciantes e até donos de pousadas. E foi dentro de um estabelecimento hoteleiro que surgiu a entidade. ### Ibama vai normatizar atividade turística Maragogi – Tramita no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) um processo que visa normatizar a atividade turística de observação do peixe-boi marinho, onde há ocorrência do animal. Outra novidade, prevista já para o próximo ano, é o monitoramento via-satélite dos mamíferos reintroduzidos à natureza. O novo procedimento recebe críticas dos ex-monitores do projeto Peixe-Boi. ### Rastreamento será por meio de satélite Maragogi – Trabalhando no Centro Especializado em Reabilitação e Destinação de Mamíferos Aquáticos (Cetas), sediado em Itamaracá - PE, a veterinária e analista ambiental Luisa Lopes reconhece que o número de monitores do projeto Peixe-Boi já foi superior ao da atualidade. O monitoramento com estagiários, segundo ela, obteve resultados satisfatórios e possibilitou maior produção científica, gerada a partir de parcerias com as universidades. ///

Mais matérias
desta edição