app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5691
Cidades

Servidor se revolta ao receber sal�rio

Lelo Macena Repórter O primeiro dia de pagamento da folha de dezembro dos servidores públicos estaduais foi marcado por muita reclamação e desespero. A medida tomada pelo governador Teotonio Vilela de suspender reajustes salariais concedidos no ano

Por | Edição do dia 17/01/2007 - Matéria atualizada em 17/01/2007 às 00h00

Lelo Macena Repórter O primeiro dia de pagamento da folha de dezembro dos servidores públicos estaduais foi marcado por muita reclamação e desespero. A medida tomada pelo governador Teotonio Vilela de suspender reajustes salariais concedidos no ano passado, pelo governo anterior, fez muita gente levar as mãos à cabeça ao constatar os cortes impressos no extrato bancário. Segundo o governo, os reajustes inviabilizariam as finanças do Estado e atingiriam o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). As categorias mais prejudicadas foram os servidores da Educação, os policiais militares, principalmente os oficiais, o Corpo de Bombeiros e os policiais civis. ### Funcionários temem acumular mais dívidas Pai de quatro filhos, o sargento José Domingues fazia contas ontem para saber o que havia sido “tirado” de seu salário. “Eu recebi esse mês R$ 1.230 e tiraram 14 por cento. Quanto é que fica?”, indagava, ao deixar a fila do caixa eletrônico. Os R$ 172 cortados de seu salário vão fazer muita falta. “Com o meu salário já não dava e sem essa parte do dinheiro é que as coisas vão ficar mais difíceis ainda. Isso é um absurdo”, reclamou. “Vamos ver no que vai dar isso aí. O Suruagy [ex-governador de Alagoas que deixou o governo após pressão popular] quis mexer com o funcionário público e deu no que deu”, completou. ///

Mais matérias
desta edição