app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Cidades

Adolescente é detida no Rio por matar mãe que não aceitava namoro

Namorado de 50 anos foi preso suspeito do crime; Valdicléia da Silva passou mal após comer inseticida colocado na comida preparada pela filha

Por Lívia Tenório | Edição do dia 05/01/2024 - Matéria atualizada em 05/01/2024 às 04h00

Uma adolescente foi apreendida no Rio de Janeiro suspeita de matar a mãe envenenada em 2022, na cidade de Arapiraca, no Agreste de Alagoas. O namorado da jovem, de 50 anos, também foi preso. Segundo as investigações policiais, a vítima foi envenenada porque não aceitava o relacionamento da filha com o homem bem mais velho.

A prisão foi efetuada pela Polícia Civil de Alagoas (PC/AL), através da Delegacia de Homicídios de Arapiraca, coordenada pelo delegado Everton Gonçalves, em conjunto com a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

O delegado Everton Gonçalves informou que o homem foi preso no bairro de Bonsucesso quando saía de uma agência bancária. Já a adolescente foi apreendida em sua residência localizada na Comunidade da Maré, na cidade do Rio de Janeiro.

Na época do crime, a adolescente tinha 16 anos. Ela foi morar com o namorado depois de matar a mãe envenenada. Os dois, segundo a polícia, são suspeitos do homicídio.

A vítima, Valdicléa da Silva Ferreira, foi morta no Povoado Lagoa Cavada, zona rural de Arapiraca, após ingerir veneno no jantar, possivelmente preparado por sua filha. Ela passou mal no decorrer da noite do dia 28 de julho de 2022 e acabou sendo socorrida até a unidade hospitalar, mas falecendo no dia 1º de agosto de 2022, no Hospital Metropolitano de Maceió.

A substância utilizada no crime foi detectada após exames periciais realizados pela Polícia Científica, tratando-se de Terbufós, um inseticida empregado em culturas agrícolas para controle de pragas e considerado produto altamente tóxico, segundo o Ministério da Saúde (MS).

O mandado de busca da menor foi expedido pelo Juízo da 1ª Vara da Infância, enquanto o mandado de prisão foi emitido pela 5ª Vara Criminal, ambos de Arapiraca.

Mais matérias
desta edição