app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Cidades

Dengue: vacinação em AL depende de definição do Ministério da Saúde

Segundo dados da Sesau, Alagoas registrou de janeiro a novembro de 2023 um total de 3.771 casos e três mortes

Por greyce bernardino | Edição do dia 06/01/2024 - Matéria atualizada em 06/01/2024 às 04h00

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) aguarda orientação do Ministério da Saúde (MS) sobre a vacinação contra a dengue em Alagoas. O imunizante foi incorporado no Sistema Único de Saúde (SUS).

O Ministério anunciou, em 21 de dezembro, que a imunização com a Qdenga deve começar em fevereiro de 2024 no País. A pasta deve trazer a definição sobre a distribuição, estratégias de vacinação, grupos e regiões prioritárias, entre outras informações.

O imunizante é o primeiro liberado para pessoas que nunca entraram em contato com o vírus da dengue. A medida deve reduzis os casos no Estado, que registrou 3.771, de janeiro a novembro de 2023, e três mortes.

O Brasil é o primeiro país do mundo a oferecer o imunizante no sistema público universal. A vacina não será aplicada em larga escala em um primeiro momento, já que o laboratório fabricante, Takeda, afirmou que tem uma capacidade restrita de fornecimento de doses. Por isso, a vacinação será focada em público e regiões prioritárias. Inclusive, a cidade de Dourados, em Mato Grosso do Sul, foi a primeira do Brasil a iniciar a vacinação em massa.

A vacina apresentou, nos ensaios clínicos, eficácia geral de 80,2% contra qualquer sorotipo da dengue após 12 meses da segunda dose. A vacina também reduziu as hospitalizações em 90%.

Recentemente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou que o Brasil é o país com mais casos de dengue no mundo, responsável por mais da metade dos diagnósticos registrados globalmente. Além disso, em 2023, o país bateu o recorde de ano com mais mortes causadas pela doença.

Mais matérias
desta edição